Patrick celebra gol do Inter em duelo com o Red Bull BragantinoImagem: Fernando Alves/AGIF

Internacional venceu o Bragantino hoje (31), no Beira-Rio, pela 33ª rodada do Brasileirão. O gol da vitória por 2 a 1, de Edenilson, nasceu em um pênalti marcado com auxílio do árbitro de vídeo —inicialmente, o lance pareceu polêmico, com dúvida sobre um toque na mão ou na barriga do zagueiro do Bragantino; o próprio atleta, porém, admitiu que a bola tocou em sua mão em entrevista pós-jogo. Patrick fez o outro gol do time gaúcho e Helinho, o dos paulistas.

Com 65 pontos, o Inter tem cinco pontos de distância para o segundo colocado, agora o Atlético-MG, que venceu o Fortaleza por 2 a 0. Se o Flamengo vencer sua partida na rodada, contra o Sport, amanhã, fica quatro pontos atrás do Colorado.

Na próxima rodada, o Internacional encara o Athletico Paranaense, quinta-feira (4), fora de casa. O Bragantino joga na quarta (3), em casa, contra o Atlético-GO.

Foi bem: Marcelo Lomba salva o Inter

Com o Internacional na frente no placar, o goleiro Marcelo Lomba se tornou o nome do jogo. O time de Abel Braga recuou após o 2 a 1 e o Bragantino sufocou os gaúchos. Ao menos duas vezes, Lomba fez defesas fundamentais para manter o placar.

Foi mal: Moisés falha em gol do Bragantino

Moisés falhou no gol do Bragantino. Um levantamento para área poderia ser afastado por ele, mas a batida na bola não teve força o suficiente e acabou com Artur. Marcelo Lomba pegou a primeira conclusão, mas Helinho fez no rebote.

Pênalti vira segundo gol

Aos 10 minutos, um pênalti polêmico virou o segundo gol do Inter. Um cruzamento de Patrick teria batido na mão do marcador, dentro da área. O árbitro revisou o lance após ser chamado pelo árbitro de vídeo e marcou. Edenilson fez o gol. Para a comentarista de arbitragem do Premiere, Nadine Bastos, o ângulo não favorecia a avaliação, poderia ser mão ou ter batido na barriga de Weverton, e para o comentarista Caio Ribeiro, a bola teria batido na barriga do defensor.

Num lance que eu achei que não foi pênalti, eu estava correndo, a bola pegou no meu braço… Na minha barriga e no meu braço. E saiu. Mas se o VAR disse que foi pênalti, tenho que assumir meu erro”.

Weverton, zagueiro do Bragantino

O jogo do Inter: Marcação alta, e linhas baixas

O Internacional manteve a estrutura que o levou à liderança do Brasileiro. Com suas linhas mais baixas, tentou chamar o Bragantino ao campo de ataque e encontrar um contra-ataque em velocidade. Não conseguiu frequentar a área em muitas oportunidades, mas não abandonou seu estilo ao longo do jogo.

O jogo do Bragantino: Posse de bola e controle do jogo

A exemplo do time da casa, o Bragantino também manteve suas características de jogo. Mas, ao contrário do rival, tratou de ocupar o campo ofensivo. Esteve sempre próximo da área de Marcelo Lomba e criou chances além do gol de Helinho. Com muito mais posse de bola, “controlou” o jogo e não se assustou mesmo quando esteve atrás no placar.

Inter quebra recorde de vitórias no Brasileiro

Com nove vitórias seguidas, o Inter quebrou recorde no Brasileirão sob atual formato. Ao bater o Bragantino, o Colorado superou o Flamengo de Jorge Jesus, que ganhou oito em sequência na conquista do título de 2019.

FICHA TÉCNICA
INTERNACIONAL 2 X 1 BRAGANTINO

Data: 31/01/2021 (Domingo)
Local: estádio Beira-Rio, em Porto Alegre (RS)
Árbitro: Savio Pereira Sampaio
Auxiliares: Daniel Henrique da Silva Andrade e José Reinaldo Nascimento Júnior
VAR: Héber Roberto Lopes
Cartões amarelos: Rodrigo Dourado, Patrick, Praxedes (INT);
Gols: Patrick, do Inter, aos 4 minutos do primeiro tempo; Helinho, do Bragantino, aos 15 minutos do primeiro tempo; Edenilson, do Inter, aos 13 minutos do segundo tempo;

INTER
Marcelo Lomba; Rodinei, Lucas Ribeiro, Cuesta e Moisés; Rodrigo Dourado (Lindoso), Edenilson, Praxedes (Johnny), Caio Vidal (Marcos Guilherme) e Patrick (Leandro Fernández); Yuri Alberto (Abel Hernández).
Técnico: Abel Braga.

BRAGANTINO
Cleiton; Aderlan, Léo Ortiz, Ligger e Edimar (Tubarão); Raul, Ryller (Ramirez), Helinho (Weverson), Claudinho e Artur (Cuello); Ytalo (Hurtado).
Técnico: Maurício Barbieri.

Uol

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui