© MIGUEL MEDINA O goleiro da Inter de Milão, Samir Handanovic, ergue a taça com seus companheiros após vencer a final da Supercopa da Itália contra a Juventus em 12 de janeiro de 2022 no Estádio San Siro

A Inter de Milão confirmou a sua atual supremacia no ‘Calcio’ ao conquistar a Supercopa da Itália, com uma vitória sobre a Juventus (2-1) no último momento da prorrogação graças a um gol de Alexis Sánchez, nesta quarta-feira.

O atacante chileno, com seu gol aos 120 minutos, decidiu o confronto quando todos no estádio Giuseppe Meazza, em Milão, pareciam se preparar para assistir uma disputa nos pênaltis. Antes, a Juventus havia aberto o placar aos 25 minutos por meio de Weston McKennie e o argentino Lautaro Martínez empatou aos 35, de pênalti.

Jogadores da Inter de Milão comemoram depois de vencer a final da Supercopa da Itália contra a Juventus© Miguel MEDINA Jogadores da Inter de Milão comemoram depois de vencer a final da Supercopa da Itália contra a Juventus

A Inter, atual campeão italiano e líder da Serie A, conquistou assim a sexta Supercopa da Itália em sua história. O time não levantava esse troféu desde 2010, ano histórico em que foi campeão da Itália, da Europa e do mundo.

O clube milanês sucede no trono da ‘Supercoppa’ justamente a Juventus, que detém o recorde de títulos nessa competição, com nove.

Alexis Sánchez tornou-se o herói da noite em Milão, quando aproveitou um erro defensivo de Alex Sandro para dominar na frente da pequena área e fechar o placar em 2 a 1.

Com este triunfo no chamado ‘Dérbi da Itália’, o técnico Simone Inzaghi continua seu retrospecto perfeito na Supercopa, com três vitórias em três participações. Nas três ocasiões, ele venceu a Juventus, a quem já havia derrotado neste torneio em 2017 e 2019, quando comandava a Lazio.

Esta Supercopa da Itália é o primeiro título de Simone Inzaghi como treinador da Inter.

“Queríamos este troféu de qualquer jeito porque a Inter não o vencia havia muito tempo, desde 2010. Doze anos é muito tempo para este clube e para nossos tifosi”, comemorou o treinador em entrevista ao Canale 5.

A Juventus cedeu seu trono na Serie A para a Inter em maio e agora também transfere seu reinado neste torneio para o mesmo time.

Apesar da derrota, a ‘Vecchia Signora’ foi guerreira durante muito tempo, superando os inúmeros desfalques, como os de Federico Chiesa (lesão) e Juan Cuadrado e Matthijs De Ligt (suspensão).

A Juventus esteve inicialmente sob pressão, primeiro com um chute de Lautaro Martínez (7) e depois em uma penetração de Nicolo Barella, que pediu pênalti após uma intervenção de Giorgio Chiellini (10).

Os jogadores comandados por Massimiliano Allegri se recuperaram e viraram o placar, quando McKennie desviou de cabeça um passe do espanhol Álvaro Morata, aos 25 minutos.

– “Um leão enjaulado” –

A Inter conseguiu se reequilibrar logo, aos 35 minutos, quando foi marcado pênalti após uma queda de Edin Dzeko e Lautaro Martínez o converteu.

A Juventus entrou na segunda etapa muito motivada e Federico Bernardeschi deu dois chutes perigosos (47 e 50), mas foi a Inter quem assumiu o comando.

Mattia Perin, titular no gol do time de Turim no lugar de Wojciech Szczesny (afastado por motivos sanitários), teve que se esforçar bastante diante de cabeçadas de Denzel Dumfries (59) e Lautaro Martínez (69), assim como em um chute de primeira de Ivan Perisic (72) e uma chance clara de Alexis Sánchez na prorrogação (116).

As entradas na partida de Paolo Dybala e Moise Kean não deram à Juventus uma pegada ofensiva e o gol de Alexis Sánchez acabou dando a taça à Inter.

“Estava com fome e queria muito ganhar alguma coisa”, admitiu o atacante chileno, que tem ficado na reserva mas que aproveitou esta oportunidade com perfeição.

“Me sinto um leão enjaulado. Se me deixarem jogar, sou uma fera”, alertou, muito satisfeito com o gol decisivo, em entrevista à Mediaset.

Nas arquibancadas, o estádio Giuseppe Meazza (San Siro) teve metade de sua lotação, antes de uma capacidade máxima ainda mais restrita entrar em vigor na Itália na sexta-feira em meio à atual onda de covid-19, que limitará a um máximo de 5.000 pessoas.

— Os dez últimos campeões da Supercopa da Itália:

2021: Inter Milán

2020: Juventus

2019: Lazio

2018: Juventus

2017: Lazio

2016: AC Milan

2015: Juventus

2014: Nápoles

2013: Juventus

2012: Juventus

— Clubes que mais venceram a Supercopa da Itália:

9 títulos: Juventus

7: AC Milan

6: Inter de Milão

5: Lazio

2: Roma e Napoli

1: Sampdoria, Parma e Fiorentina

AFP

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui