Na imagem o deputado estadual Hervázio Bezerra

O deputado estadual, Hervázio Bezerra (PSB), falou sobre o imbróglio em que está envolvida a relação do governador João Azevêdo (Cidadania) e o senador Veneziano Vital do Rêgo (MDB). O parlamentar declarou que não vê alternativa que não seja uma recomposição da parceria entre os dois líderes paraibanos ou o rompimento político.

Em entrevista à rádio Arapuan FM, nesta segunda-feira (11), Hervázio disse que a situação exposta na última sexta-feira (8), com um mal estar entre a Secretária de Estado da Articulação e do Desenvolvimento Social, a advogada Ana Claudia Oliveira da Nóbrega Vital do Rêgo, junto ao governador João Azevêdoonde o senador saiu em defesa da esposa, precisa ser contornada, pois do contrário, não resta outra alternativa que não seja o rompimento político entre o emedebista e o grupo do governador.

Hervázio chegou a declarar que, se a possibilidade de rompimento Veneziano com João Azevêdo for realmente concretizada a oposição ao governo vai registrar importantes baixas. “Não veja outra saída: ou se supera ou rompe, e se isso acontecer a oposição vai ter importantes e significativas baixas”, comentou.

Sem espaço na mesa

Na última sexta-feira (8),  solenidade do Governo do Estado de assinatura de ordens de serviço em celebração ao aniversário de Campina Grande, causou um grande mal-estar que ainda repercute nas rodas políticas da Paraíba.

Ana Cláudia Vital, secretária de Articulação Municipal do Governo João Azevêdo, deixou evento do Governo do Estado, em Campina Grande, antes do seu termino. Ela não teria sido chamada para compor a mesa do evento e teria alegado desprestígio por parte do gestor estadual.

Veneziano Vital do Rêgo, esposo de Ana Cláudia, saiu em defesa da secretária e declarou que ela fez bem em ter se retirado, já que o ato, segundo ele, teria sido deselegante e desrespeitoso. Ele disse ainda que ela teve um gesto tranquilo, porém firme e classificou a atitude da secretária como equilibrada.

A situação gerou uma crise entre os líderes políticos que tem reverberado dentro das legendas, o que levou o secretário chefe de Governo, Roberto Paulino (MDB) a revelar que se sente desconfortável com a cena e já estuda entregar o cargo.

O ex-governador declarou ainda que mantém o apoio a reeleição de João Azevêdo em 2022, independente de sua saída da secretaria.

Já o  deputado estadual Raniery Paulino (MDB) busca uma ‘reconciliação’ do seu partido com o governador João Azevêdo (Cidadania), após o episódio envolvendo a secretária e o governador.

Raniery disse que defenderá a manutenção do apoio ao líder do Executivo Estadual e falou até em propor a filiação do governador ao MDB.

Portal Wscom 

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui