Governadores, secretários estaduais e representantes do Ministério da Saúde em evento promovido para marcar o envio de imunizantes contra a covid-19 para as unidades da FederaçãoPaulo Lopes/Ministério da Saúde – 18.jan.2021

Pesquisa PoderData realizada nesta semana (26-28.abr.2021) mostra que 32% da população avalia o trabalho dos seus respectivos governadores como ruim ou péssimo. Outros 29% dizem que é bom ou ótimo; 37% avaliam como regular.

Com isso, as avaliações positiva e negativa dos governos estaduais seguem empatadas na margem de erro do levantamento, de 2 pontos percentuais, para mais ou para menos, ­–mesmo cenário da pesquisa anterior, no início de fevereiro, quando estavam em 29% e 28%, respectivamente. Cerca de um terço do eleitorado se mostra satisfeito com a atuação de seu governador; outro terço está descontente.

Em relação a 2020, o retrato é pior para os governadores. Até julho daquele ano, a taxa de avaliação positiva variava na faixa de 34% a 41%.

A atuação dos governadores é um dos assuntos da CPI da Covid, instalada na última 3ª feira (27.abr) no Senado. As investigações a respeito da gestão de recursos da União por Estados podem ganhar destaque nos próximos meses e chamuscar a imagem dos políticos.

Esta pesquisa foi realizada no período de 26 a 28 de abril de 2021 pelo PoderData, a divisão de estudos estatísticos do Poder360. A divulgação do levantamento é feita em parceria editorial com o Grupo Bandeirantes.

Foram 2.500 entrevistas em 482 municípios nas 27 unidades da Federação. A margem de erro é de 2 pontos percentuais, para mais ou para menos. Saiba mais sobre a metodologia lendo este texto.

Para chegar a 2.500 entrevistas que preencham proporcionalmente (conforme aparecem na sociedade) os grupos por sexo, idade, renda, escolaridade e localização geográfica, o PoderData faz dezenas de milhares de telefonemas. Muitas vezes, mais de 100 mil ligações até que sejam encontrados os entrevistados que representem de forma fiel o conjunto da população.

Além da sobrecarga nos hospitais e do peso político das medidas de distanciamento, governadores têm sido pressionados por programas de auxílio aos mais pobres. Em 2020, o governo federal pagou 9 parcelas de R$ 600 e R$ 300 a quase 70 milhões de pessoas para mitigar os efeitos da pandemia.

Agora, em 2021, o Executivo propôs estender o benefício em mais 4 partes, com menor valor, –de R$ 150 a R$ 375– a 45,6 milhões de pessoas. Mas esse dinheiro só começou a ser distribuído no início de abril. Até lá, milhões ficaram desassistidos. Pelo menos 18 Estados, 16 capitais e o Distrito Federal criaram programas próprios para aliviar os efeitos da crise.

ESTRATIFICAÇÃO POR REGIÃO

A maior rejeição aos governadores é registrada no Sudeste (37%). As maiores aprovações, no Norte (40%) e Nordeste (39%).

Leia os dados no infográfico abaixo:

TRABALHO DOS GOVERNADORES X TRABALHO DE BOLSONARO

O presidente da República trava embate há meses com os governadores. Reclama de medidas de distanciamento social decretadas para frear a disseminação da covid-19 –defendendo normas menos rígidas, que, por exemplo, não fechem setores da economia.

Esse posicionamento parece influenciar na percepção de sua base de apoio. Entre os que o consideram “ótimo” ou “bom”  36% rejeitam o trabalho dos governadores. Já entre os que rejeitam Bolsonaro, 37% aprovam a atuação dos governadores.

PODERDATA

O conteúdo do PoderData pode ser lido nas redes sociais, onde são compartilhados os infográficos e as notícias. Siga os perfis da divisão de pesquisas do Poder360 no Twitter, no Facebook, no Instagram e no LinkedIn.

PESQUISAS MAIS FREQUENTES

PoderData é a única empresa de pesquisas no Brasil que vai a campo a cada 15 dias desde abril de 2020. Tem coletado um minucioso acervo de dados sobre como o brasileiro está reagindo à pandemia de coronavírus.

Num ambiente em que a política vive em tempo real por causa da força da internet e das redes sociais, a conjuntura muda com muita velocidade. No passado, na era analógica, já era recomendado fazer pesquisas com frequência para analisar a aprovação ou desaprovação de algum governo. Agora, no século 21, passou a ser vital a repetição regular de estudos de opinião.

Poder360

  

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui