Presidente nacional do PT, a deputada federal Gleisi Hoffmann disse que o partido tem gratidão e uma deferência especial ao ex-governador da Paraíba, Ricardo Coutinho (PSB), que foi leal e esteve ao lado do PT quando a legenda estava sozinha em meio ao impeachment de Dilma Rousseff e a prisão de Lula. “Ele é um companheiro de longa data. Gratidão e lealdade na política são muito importantes e a gente tem uma deferência muito especial a Ricardo Coutinho”, disse ela que ainda lamentou o posicionamento divulgado por setores petistas da Paraíba que se reuniram no último sábado e divulgaram a rejeição à possibilidade de retorno de Ricardo ao PT.

“Eu lamento essa posição. Aliás, eu soube que muitos companheiros do PSB gostariam de vir para o PT e quando estivemos conversando com Ricardo Coutinho junto com o presidente Lula, indagamos isso a ele, e ele realmente falou que existe essa vontade. Perguntamos se ele estaria disposto, e ele disse que sim. Nossa posição é de acolhê-lo. Ricardo é um grande companheiro. Ter Ricardo no PT é muito importante para nós. Nós somos favoráveis. Seria importante tê-lo em nossas fileiras. Obviamente que vamos dialogar com os companheiros da Paraíba sobre isso”, afirmou Gleisi em entrevista ao programa Hora H da Rádio Pop FM.

Por outro lado, a dirigente também não descarta um diálogo com o governador João Azevêdo (Cidadania), adversário de Ricardo. “Não há problema nenhum em dialogar também com o governador João Azevêdo. Precisamos ter claro é um projeto para derrotar Jair Bolsonaro e o bolsonarismo, mas até agora não conversamos sobre isso e não há nenhuma definição em relação às estratégias para a Paraíba”.

Gleisi evitou avaliar o governo de João Azevêdo, disse que desconhece a gestão e mesmo sabendo que o PT indicou o titular de uma secretaria (Bivar Duda, da Secretaria de Agricultura Familiar) não existe vinculação do partido ao apoio a João.

ParlamentoPB

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui