Continua depois da publicidade

Já se foi a primeira metade do Campeonato Brasileiro e o pesadelo cearense continua… Na noite deste domingo, o Leão do Pici recebeu o Santos, do estreante Lisca, e, após mais uma atuação pouco inspirada, ficou no 0 a 0. Com o tropeço, o Tricolor chega a 15 e, por conta da vitória do Juventude na rodada, termina o primeiro turno na lanterna do Brasileirão.

Do outro lado, o Peixe, com 26, figura na nona posição. Faltou emoção… e qualidade Os primeiros 15 minutos deram a impressão de que Fortaleza e Santos fariam um grande primeiro tempo na Arena Castelão. O Leão do Pici assustou aos dez com Romarinho, Eduardo Bauermann respondeu para o Peixe logo em seguida, mas parou por aí.

O Tricolor tomou a iniciativa e tentou impor seu ritmo, mas pecou demais na construção das jogadas. Do outro lado, com uma postura mais reativa, o Alvinegro Praiano baixou demais suas linhas e pouco conseguiu agredir o adversário. Apesar das estratégias distintas, ambas as equipes combinaram para algo em comum: falta de criatividade e erros…muitos erros técnicos, que fizeram o duelo se arrastar até a ida para o intervalo.

Sem grande efetividade, o time de Juan Pablo Vojvoda ainda ameaçou alguma melhora nos minutos finais. Aos 40, após troca de passes na entrada da área, Ronald aproveitou sobra e finalizou pela linha de fundo. Jogo melhora, mas rede não balança Na volta do intervalo, o jogo ganhou dinâmica e as equipes, enfim, começaram a criar boas oportunidades. Logo no início, Marcos Leonardo teve duas boas chances para abrir o placar, mas desperdiçou.

Na melhor delas, o camisa 9 tirou de Marcelo Boeck, mas viu Benevenuto salvar em cima da linha. Do outro lado, o Fortaleza respondeu com Thiago Galhardo. O atacante, que entrou no lugar de Silvio Romero, recebeu cruzamento da esquerda, se antecipou à marcação e deu um leve desvio, tirando tinta da trave esquerda. Na sequência, o Leão do Pici ameaçou emplacar uma pressão e acumulou finalizações com Galhardo e Depietri.

Todas pararam em defesas seguras de João Paulo, que manteve o zero no marcador. Na reta final, como era de se esperar, a necessidade do resultado fez o Tricolor buscar um tudo ou nada, mas sem grande organização. Do outro lado, o Peixe também teve a oportunidade de matar nos contra-ataques, mas pontaria foi algo que faltou na Arena Castelão… 0 a 0!

O Gol 

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui