RIO DE JANEIRO, RJ (UOL/FOLHAPRESS) – Apesar das conquistas recentes do Campeonato Brasileiro e da Supercopa do Brasil, o Flamengo chega à final do Carioca sob algumas incertezas, o que faz com que o clássico com o Fluminense a partir das 21h05 deste sábado (22) ganhe um peso ainda maior.

O desempenho do time tem motivado críticas ao técnico Rogério Ceni -movimento que se intensificou na última quarta (19) após o empate com a LDU (EQU), pela Libertadores. Com dificuldade de cair nas graças da torcida, o treinador tenta acertar alguns pontos ainda deficientes na equipe, como o setor defensivo.

Dentre os placares recentes que despertaram reclamações rubro-negras, está, inclusive, o empate em 1 a 1 no primeiro duelo das finais do Estadual, diante do rival tricolor, em jogo no qual os comandados de Roger Machado estiveram até mesmo próximos da virada.

Apesar de a diretoria rubro-negra não demonstrar intenção de mudanças imediatas, sabe-se que a perda do título do Estadual pode ter reflexos, principalmente na Gávea. Isso transparece também na tomada de decisão da instituição ao direcionar olhar mais cuidadoso a esta final.

Paralelamente à tensão que novamente cerca o treinador, há a expectativa pelo andamento das negociações do Olympique de Marselha (FRA) por Gerson. Ceni já demonstrou publicamente não querer perder o jogador. Salientou, contudo, que “não paga as contas” no Flamengo.

O time rubro-negro ainda vê a possibilidade de Everton Ribeiro voltar à mira de clubes do Oriente Médio, como aconteceu em janeiro, quando o Al Nassr, dos Emirados Árabes Unidos, fez proposta -as tratativas na época não se concretizaram.

O clube da Gávea nunca escondeu que a pandemia de coronavírus teve consequências consideráveis em suas finanças. Um cenário que faz com que a cúpula estude cuidadosamente qualquer proposta. Ao mesmo tempo, Ceni admitiu que conversa com a diretoria pela chegada de reforços.

O cenário de incertezas do Flamengo ainda envolve a dúvida sobre a presença de Diego Alves na final. O goleiro se recupera de uma fibrose na coxa direita e tem sido substituído por Gabriel Batista, que tomou de Hugo Souza o posto de primeiro suplente na meta rubro-negra.

Pelo lado do Fluminense, a decisão também tem peso grande, já que o time não conquista o Estadual desde 2012, ano em que levou seu último título de maior expressão, o Campeonato Brasileiro no caso. De lá para cá, venceu a Taça Guanabara e a Taça Rio em anos diferentes, além da já extinta Primeira Liga.

O time tricolor vinha priorizando a Taça Libertadores, tal como o Flamengo, e terá duelo decisivo pela competição já na terça (25), contra o River Plate (ARG), que decretará sua classificação às oitavas ou queda ainda na fase de grupos. No entanto, Roger deverá levar o que tem de melhor a campo no Carioca.

Os dois times dependem de uma vitória simples para conquistar o Estadual. Em caso de novo empate, os rivais decidirão a taça nas penalidades.

FLAMENGO
Gabriel Batista (Diego Alves); Isla, Arão, Rodrigo Caio e Filipe Luís; Diego, Gerson, Everton Ribeiro e Arrascaeta; Bruno Henrique e Gabigol. T.: Rogério Ceni

FLUMINENSE
Marcos Felipe; Calegari, Nino, Luccas Claro e Egídio (Danilo Barcelos); Martinelli, Yago e Nenê (Cazares), Kayky, Luiz Henrique (Gabriel Teixeira) e Fred. T.: Roger Machado

Estádio: Maracanã, no Rio de Janeiro (RJ)
Horário: 21h05 (de Brasília) deste sábado (22)
Árbitro: Bruno Arleu de Araújo
VAR: Carlos Eduardo Nunes Braga
Transmissão: TV Record, FlaTV, FluTV e Carioca Play

Paraíba Online 

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui