O Flamengo usou a qualidade individual de seus jogadores para, mesmo sem fazer grande partida, vencer o Vélez Sarsfield, na Argentina, pela estreia na Libertadores, por 3 a 2.  Com gols de Willian Arão, Gabigol e De Arrascaeta, o Rubro-Negro conquistou os primeiros pontos na Libertadores e assume a liderança do grupo G, que tem ainda Unión La Calera e LDU, que ainda jogam.

Poucas chances, dois gols O Flamengo começou a partida forçando o jogo no lado direito de ataque, com Isla avançado e Diego e Éverton Ribeiro como opções próximas.

Após tabelinha entre os dois meias por ali quase surgiu o primeiro gol: por pouco Gabigol não alcançou lançamento de Éverton.  O Vélez foi mais eficiente quando foi no ataque. Em ataque rápido aos 20 minutos, Lucero fez boa jogada na área e rolou para Lucas Janson, que abriu o placar.

Os argentinos defenderam bem o resultado na maior parte do primeiro tempo. Buscou não deixar o rival crescer no jogo, fazendo faltas táticas e anulando Gerson, que demorou a aparecer.  Gerson conseguiu aparecer na reta final do primeiro tempo, e o Rubro-Negro arrancou o empate.

O meia ficou com sobra de corte errado da defesa, cortou o marcador e abriu para Willian Arão, livre na área, deixar tudo igual.  O time de Rogério Ceni esteve longe de fazer um grande primeiro tempo, mas quase foi ao intervalo em vantagem. Já aos 43, depois de novo lance de Gerson, Éverton Ribeiro perdeu gol cara a cara.

Qualidade rubro-negra faz a diferença Os argentinos recuperaram a dianteira no marcador no início do segundo tempo aproveitando um cochilo da defesa flamenguista em uma bola parada. Janson aproveitou desvio no segundo poste após escanteio e, livre na pequena área, empurrou para a rede.  O Fla conseguiu responder usando a qualidade de Gabigol, que fez boa jogada pelo centro e acabou derrubado pelo goleiro Hoyos.

O próprio atacante cobrou o pênalti para empatar a partida mais uma vez.  Os cariocas dependiam muito das individualidades na partida. A saída a três não era feita com eficiência, com as linhas de passe para os meias (Diego e Gerson) bem fechadas e marcação compacta nas linhas mais adiantadas.

A situação mudava quando a bola chegava aos jogadores de ataque. Gabigol era sempre um perigo. O atacante assustou em arremate de fora e deu trabalho para Hoyos em chute na área.  De Arrascaeta, até então sumido na partida, apareceu aos 35 para ser decisivo.

O uruguaio teve liberdade para arriscar chute de fora da área e acertou o ângulo para fazer um belíssimo gol de canhota.  Ex-Fla, Federico Mancuello entrou para tentar comandar a reação dos argentinos, mas com pouco tempo em campo deu carrinho em Gabigol e acabou expulso de campo. Com um a mais, o Fla colocou os pontos debaixo do braço para levar na bagagem.

O Gol 

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui