Reprodução

As facções de traficantes que dividem o controle de cerca de 1.500 favelas do Rio de Janeiro, já somam 56 mil criminosos muito bem armados e mais numerosos que a Polícia Militar do Estado, que conta hoje com um efetivo de 44 mil policiais.

A estimativa do “exército de bandidos” foi citada nesta sexta (28) pelo procurador de Justiça Marcelo Rocha Monteiro, em entrevista à Rádio Bandeirantes.

Ele adverte: a decisão do Supremo Tribunal Federal de proibir a polícia nas favelas fortaleceu as organizações criminosas.

Cresceu a ambição da gangue paulista “PCC” para se estabelecer nas favelas do Rio, como mostrou operação da Polícia Federal dias atrás.

Continua depois da publicidade

Com a polícia proibida de agir, um intenso tiroteio de 27 horas marcou a tentativa de uma facção “tomar” o morro de São Carlos, no Rio, controlado por rivais.

Na decisão do STF, os ministros não parecem informados sobre o drama vivido pela população que moram nas favelas sob a mira das armas dos bandidos.

O STF nem imagina que pode ser fuzilado morador com roupa amarela, cor rival, em morro controlado pelo “Comando Vermelho”, e vice-versa.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui