Treinador do Palmeiras entre a última final de 2012 e o primeiro semestre de 2014, Gilson Kleina concedeu entrevista exclusiva à FOXSports.com.br. Dentre os números de assuntos, o antigo comandante alviverde falou sobre um nome em especial e referência técnica Palmeiras da época das ‘vacas magras’ do clube na primeira metade desta década: Jorge Valdivia. 

Mesmo com uma sequência grande de lesões com uma camisa do Palmeiras, Valdivia ainda assim foi a referência do clube, principalmente quando o assunto era clássico. Gilson Kleina revelou que a metade se prepara de uma forma diferente antes de encarar os rivais Corinthians, São Paulo e Santos, mas que era natural do chileno em uma atitude em campo contra os demais gigantes do estado. 

“Todo grande jogador gosta de clássico. Quando o clássico inteiro pela frente, ou o grupo inteiro se prepara, mas o Valdivia era moldado para jogos assim. Ele tinha uma áurea diferente. Nenhum vestiário mesmo, ele pega a bola, gosta de ficar petecando. leem, outros mandam mensagem para alguém, outros que querem conversar. O Valdivia não. Ele sempre tranquilo, sorrindo. Ele é moldado para grandes jogos. Ele se transforma em campo. O Valdivia faz a leitura, sabe que vai ser marcado rapidamente. passávamos tudo para ele. Nós treinamos isso antes. Com uma bola no chão, ele tinha muito recurso. Ele era essa preparação para o clássico. Ele cresce em momentos assim “, disse o treinador. 

Curiosamente, a última partida de Valdivia com uma camisa do Palmeiras antes do último adeus foi justamente um clássico contra o Corinthians. Em 2015, na plena Arena Corinthians, com grande atuação de Valdivia, ou Verdão venceu por 2 a 0, em duelo válido pela primeira vez no Campeonato Brasileiro. Os gols palmeirenses foram anotados por Rafael Marques e Zé Roberto. 

Valdivia vestiu uma camisa do Palmeiras em duas ocasiões. Entre o final de 2006 e a metade de 2008, o ano de conquista do título paulista em cima da Ponte Preta. Em seguida, de metade de 2010 até metade de 2015. Contudo, os últimos cinco anos foram marcados entre altos e baixos, com muitas lesões. Contudo, a meia foi a peça-chave nas conquistas da Copa do Brasil de 2012, sem acesso ao clube da Série A em 2013 e com a permanência dramática na primeira divisão de 2014, algo que somente foi liberado na última partida do Campeonato Brasileiro. 

Fox Sports 

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui