DestaqueMundo

EUA dizem que plano de cessar-fogo de Putin para a Ucrânia é inaceitável

O Governo dos Estados Unidos descreveu como inaceitável a proposta do Presidente russo Vladimir Putin, que prometeu iniciar negociações de paz se a Ucrânia se retirar de quatro regiões e abdicar de aderir à OTAN.

© Lusa

“Agora [Putin] diz que o preço da paz é permitir que a Rússia ocupe ainda mais território ucraniano”, disse na sexta-feira a porta-voz do Conselho de Segurança Nacional da Casa Branca, citada pela agência de notícias EFE.

“Não há nenhum país no mundo que possa dizer seriamente que isto é aceitável ao abrigo da Carta da ONU, do direito internacional, da moralidade básica ou do bom senso”, disse Adrienne Watson.

A presidência dos EUA destacou que Putin não demonstrou qualquer interesse em “negociar de boa fé” e garantiu que o país continuará apoiando a Ucrânia na sua defesa contra a agressão russa.

“Trabalharemos com a comunidade internacional para estabelecer as condições para uma paz justa e duradoura, de acordo com os princípios de soberania e integridade territorial da Carta das Nações Unidas”, disse Watson.

“Um mundo em que a Rússia pode redesenhar fronteiras com base nos seus caprichos é um mundo em que os Estados Unidos são menos seguros e em que ditadores e autocratas são encorajados em todo o lado”, alertou a porta-voz.

Na sexta-feira, Putin prometeu ordenar imediatamente um cessar-fogo na Ucrânia e iniciar negociações se Kiev começasse a retirar as tropas das regiões de Donetsk, Lugansk, Kherson e Zaporijia, anexadas por Moscou em 2022, e renunciasse aos planos de adesão à NATO.

Estas reivindicações constituem uma exigência de fato para a rendição da Ucrânia, cujo objetivo é manter a sua integridade territorial e soberania, mediante a saída de todas as tropas russas do seu território, além de Kiev pretender aderir à aliança militar.

Mykhailo Podoliak, conselheiro da Presidência ucraniana, desvalorizou na sexta-feira a proposta do Presidente russo, descrevendo-a como “contrária ao bom senso”.

“Não existem novas propostas de paz por parte da Rússia. A entidade Putin simplesmente formulou o ‘pacote padrão do agressor’ que já ouvimos muitas vezes”, disse Podoliak, na rede social X (antigo Twitter).

Também o secretário-geral da OTAN, Jens Stoltenberg, considerou na sexta-feira que a proposta do Presidente russo “não foi feita de boa-fé” e que é, pelo contrário, no sentido de “mais agressão” a Ucrânia.

Vladimir Putin proclamou a anexação das quatro regiões do leste e do sul da Ucrânia em setembro de 2022, para além da anexação da Crimeia em 2014. O líder russo especificou que a Ucrânia deve entregar todos estes territórios, apesar de Moscou apenas os ocupar parcialmente.

A proposta de Putin surgiu na véspera da Cimeira da Paz, organizada pela Suíça, que vai reunir hoje e amanhã dezenas de líderes mundiais – mas não de Moscou – para tentar traçar os primeiros passos para a paz na Ucrânia.

Últimas Notícias 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo