A negociação do Palmeiras pelo atacante Rafael Borré, do River Plate, ganhou um novo capítulo importante. De acordo com o ‘ge’, o estafe do colombiano demonstrou incômodo com a forma como o clube Alviverde está conduzido o negócio, sendo dois pontos que mais causaram irritação até o momento.

Segundo a publicação, o fato do Palmeiras enviar à Argentina um empresário como representante, mas não ter ninguém propriamente da diretoria na ‘comitiva’, foi um dos motivos de críticas do estafe de Borré. O outro motivo de irritação foi porque o Alviverde teve um diálogo direto com o jogador, sem passar pelos empresários – o próprio atacante se surpreendeu ao receber do representante palmeirense a abordagem para um possível pré-contrato com validade a partir julho, após o término do vínculo com o River.

O interesse do Palmeiras por Borré começou há quase três semanas, quando o próprio jogador, ao ser surpreendido com a abordagem Alviverde, recomendou que os dirigentes abrissem diálogo com os empresários. Foi então que o clube enviou um agente para tratar a negociação, mas novamente o atacante foi diretamente procurado e, a partir dessa situação, o negócio foi descartado neste primeiro momento.

O Palmeiras decidiu não se pronunciar sobre negociações por causa da final da Copa do Brasil, contra o Grêmio, que começa a ser decidida neste domingo, dia 28, e terá a partida decisiva no dia 7, no Allianz Parque.

Vale destacar que a proposta palmeirense pelo jogador de 25 anos é de cerca de R$ 80 milhões, entre luvas e salários, diluídos em quatro anos de contrato – são pouco mais de R$ 32 milhões de luvas e R$ 11 milhões por ano com salários, além dos impostos.

Enquanto Palmeiras sonha com a chegada de Borré, o River Plate tenta renovar o contrato do atacante, que também interessa ao Toronto FC, time do Canadá que disputa a Major League Soccer (MLS), principal liga de futebol dos Estados Unidos.

Torcedores.com 

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui