As vítimas, geralmente de famílias pobres, eram escolhidas ainda no Brasil e convencidas a viajarem para a Espanha

A Polícia da Espanha prendeu nesta quarta-feira, 17, três pessoas acusadas de manterem uma rede de exploração sexual de mulheres — a maioria delas, provenientes do Brasil. Além de serem obrigadas a se prostituírem diariamente, as vítimas eram mantidas em condições insalubres dentro de um cativeiro lotado em Valladolid, onde eram alvo de ameaças e agressões físicas.

A investigação, que teve início graças à denúncias anônimas, descobriu que os integrantes da quadrilha captavam mulheres nas camadas mais pobres da sociedade brasileira e as levavam de avião para Madri, onde seguiam de carro até a cidade no centro da Espanha. Uma vez em Valladolid, as mulheres eram obrigadas a se prostituírem e entregarem todo o dinheiro aos seus captores como pagamento de uma suposta dívida que contraíam com as despesas de moradia e alimentação.

As três pessoas que foram presas até agora estão sendo acusadas de tráfico humano para exploração sexual, atentado contra a saúde pública e posse ilegal de armas.

*Com informações da EFE

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui