Enviadas pelos Emirados Árabes Unidos, 20 mil doses da vacina russa Sputnik V serão utilizadas para imunizar profissionais de saúde da Faixa de Gaza.
 SAID KHATIB AFP

Cerca de 20 mil doses de vacinas Sputnik V contra a Covid-19 chegaram à Faixa de Gaza neste domingo (21), procedentes dos Emirados Árabes Unidos. Devido ao bloqueio imposto ao território palestino por Israel, os imunizantes tiveram de ser enviados através da fronteira egípcia – relataram autoridades e testemunhas.

As vacinas Sputnik V entraram em Gaza através da passagem de Rafah, um posto fronteiriço entre o enclave palestino e o Egito. Elas serão aplicadas em membros de equipes médicas do local, afirmou um grupo dirigido por Mohammed Dahlan, um dissidente do movimento palestino Fatah. O militante, que vive exilado nos Emirados Árabes Unidos, reivindica a responsabilidade pelo envio das vacinas.

Um primeiro lote de duas mil vacinas Sputnik V, enviado pela Rússia, já havia chegado a Gaza na última quarta-feira (17), depois de uma polêmica. O envio dos imunizantes foi primeiramente bloqueado pelo Cogat, órgão israelense encarregado de operações civis nos Territórios Palestinos.

O movimento islamista Hamas, que controla a Faixa de Gaza, denunciou uma “violação” do direito internacional. Já a Autoridade Palestina, que fica na Cisjordânia ocupada, acusou Israel de impedir a entrada da remessa do fármaco em Gaza por motivos políticos. Logo depois, os imunizantes foram liberados para envio ao empobrecido enclave de dois milhões de habitantes.

Cerca de 54 mil casos de Covid-19 foram registrados em Gaza desde o início da pandemia. A doença deixou mais de 500 mortos no local. Fontes de saúde relataram, porém, uma diminuição das internações hospitalares nas últimas semanas.

Israel vai vacinar 100 mil palestinos

A Autoridade Palestina também chegou a um acordo com Israel para vacinar 100 mil palestinos que trabalham no Estado hebreu. A informação foi divulgada pelo Ministério palestino da Saúde.

Os trabalhadores palestinos receberão gratuitamente a vacina da Pfizer/BioNTech que está sendo utilizada para imunizar a população israelense. A data para o início da inoculação ainda não foi anunciada.

A Autoridade Palestina aproveitou o encontro realizado com os representantes israelenses na sexta-feira (19) para pedir permissão de circulação dos veículos do Ministério palestino da Saúde nas Colinas de Hebron e no Vale do Jordão, zonas bloqueadas pelo exército de Israel.

A partir deste domingo, no momento em que Israel relaxa progressivamente o lockdown no país, todos os empregados palestinos dos setores agrícola, de construção e operários poderão voltar a atravessar os checkpoints e retornar para suas casas na Cisjordânia. Até o momento, devido às restrições para barrar a propagação da Covid-19 impostas pelo Estado hebreu, 30 mil trabalhadores palestinos estavam impedidos de deixar o país.

(Com informações da AFP e da correspondente da RFI em Ramallah, Alice Froussard)

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui