Início Mundo Eduardo Paes recebeu R$ 10,8 milhões da Odebrecht via caixa 2, diz...

Eduardo Paes recebeu R$ 10,8 milhões da Odebrecht via caixa 2, diz MP-RJ

49

© Fernando Frazão/Agênci Brasil – 1º.jan.2017 Eduardo Paes no Palácio da Cidade; ex-prefeito do Rio de Janeiro teria ‘exercido pressão’ para a Carioca Engenharia retirar proposta e abrir caminho para Odebrecht em licitação

O ex-prefeito do Rio de Janeiro e pré-candidato a 1 novo mandato Eduardo Paes (DEM) recebeu doação ilegal de R$ 10,8 milhões da Odebrecht nas eleições de 2012. É o que diz o Ministério Público Eleitoral do Rio de Janeiro, que denunciou Paes por corrupção passiva, lavagem de dinheiro e falsidade ideológica eleitoral. O Juízo da 204ª Zona Eleitoral do RJ já recebeu a denúncia e tornou o ex-prefeito réu. Foram cumpridos mandatos de busca e apreensão contra Paes na manhã desta 3ª feira (8.set.2020).© Fernando Frazão/Agênci Brasil – 1º.jan.2017 Eduardo Paes no Palácio da Cidade; ex-prefeito do Rio de Janeiro teria ‘exercido pressão’ para a Carioca Engenharia retirar proposta e abrir caminho para Odebrecht em licitação

A denúncia é resultado de investigações iniciadas a partir da delação de executivos da Odebrecht. Segundo Benedicto Barbosa da Silva Junior (o BJ) e Leandro Andrade Azevedo, o ex-prefeito teria recebido doações via caixa 2 em 2010, 2012 e 2014.

A denúncia apresentada à Justiça trata especificamente da campanha de 2012. Os investigadores dizem (íntegra – 20 MB) haver “grande volume de provas independentes do acordo de colaboração celebrado com executivos do Grupo Odebrecht que demonstram –para além de qualquer dúvida razoável– a prática dos crimes de corrupção, lavagem de dinheiro e falsidade ideológica eleitoral“.

O MP-RJ afirma que as doações da Odebrecht a Paes foram feitas por meio de uma empresa de propaganda contratada pela campanha do ex-prefeito em 2012. Essa empresa recebeu 18 pagamentos em dinheiro da construtora.

O hoje deputado Pedro Paulo (DEM-RJ), então chefe da Casa Civil de Paes e coordenador de sua campanha, é acusado de ter se “encarregado de gerenciar o recebimento da vantagem indevida, especificando a forma como seria destinada e indicando os responsáveis por sua arrecadação“.

Ex-presidente da Odebrecht, Benedicto Barbosa disse aos investigadores que recebeu o pedido de doação do próprio Eduardo Paes. Teria concordado por “vislumbrar muitas oportunidades de negócios lucrativos, em face do volume de obras de infraestrutura projetadas para serem realizadas pela Prefeitura no período de 2013/2016, especialmente no contexto dos preparativos para a Copa do Mundo de 2014 e para a Olimpíada de 2016“.

As doações teriam garantido aos executivos da empreiteira acesso direto a Eduardo Paes, o que permitia que as demandas do grupo chegassem ao prefeito sem a necessidade de intermediários.

Um desses interesses que teriam sido atendidos foram as obras para construção do BRT da capital fluminense. A Carioca Engenharia informou, em acordo de leniência, que a licitação para o empreendimento foi direcionada para a Odebrecht. Paes teria “exercido pressão” para que a Carioca retirasse sua proposta

O MP-RJ diz que Paes intercedeu pessoalmente “em múltiplas ocasiões para levantar entraves administrativos” de interesse da Odebrecht.

Outro lado

Em nota, a defesa de Eduardo Paes afirmou que o político está “indignado” e que, para ele, o cumprimento de busca e apreensão em sua casa foi uma “uma tentativa clara de interferência do processo eleitoral”.

“Às vésperas das eleições para a Prefeitura do Rio, Eduardo Paes está indignado que tenha sido alvo de uma ação de busca e apreensão numa tentativa clara de interferência do processo eleitoral –da mesma forma que ocorreu em 2018 nas eleições para o governo do Estado”, diz a nota.

“A defesa nem sequer teve acesso aos termos da denúncia e assim que tiver detalhes do processo irá se pronunciar”, completou a defesa.

Pedro Paulo disse que o MP-RJ faz “uso político de instrumentos da Justiça para interferir na eleição“. “Não nos intimidarão. Ao ter acesso ao conteúdo da denúncia, farei a minha defesa no processo“, completou.

Eis o vídeo compartilhado por Eduardo Paes sobre a investigação do MPM-RJ:

Eis o vídeo compartilhado por Eduardo Paes sobre a investigação do MPM-RJ:

Poder360

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui