O deputado Cabo Gilberto decidiu denunciar à Justiça Eleitoral o fato do candidato Ricardo Coutinho (PSB) estar “utilizando recursos do Fundo Partidário para atacar o Ministério Público e o Gaeco”. Primeiro, segundo o parlamentar, foi a publicação de uma notícia na revista Carta Capital (https://bit.ly/2JzRpo6), “engajada ao PT e seus aliados”, questionando a veracidade dos áudios que incriminaram o ex-governador na Operação Calvário.

Depois, a utilização da publicação na confecção de panfletos, “que vêm sendo distribuídos nas ruas e até enviado para residências, dando como certo que houve manipulação dos áudios, em que Ricardo Coutinho cobra até pagamento de 13º ao lobista Daniel Gomes da Silva, quando, inclusive, já foi publicado um laudo da Polícia Federal, indicando que os áudios são perfeitamente legais e não houve qualquer manipulação”.

O detalhe é que o PSB fez doações de quase um milhão de reais para a campanha de Ricardo Coutinho, distribuídos entre a direção nacional (R$ 200 mil), estadual (R$ 100 mil) e municipal (R$ 670 mil). Segundo o deputado, “o dinheiro do fundo partidário não pode ser utilizado para atacar uma instituição como o Ministério Público, apenas por ter sido preso e ter usado tornozeleiras, em função das investigações da Operação Calvário”.

O deputado lembra que “o Fundo Partidário é dinheiro público e não pode ser usado para atingir instituições como o Ministério Público”.

PANFLETOS DISTRIBUÍDOS PELO PSB…

Helder Moura 

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui