DISPUTA DA PESADA: Ataques de Ruy a Cícero e de João contra Walber surpreendem a praça no início da campanha

A largada da campanha em João Pessoa tem apresentado pelo menos dois embates inesperados. É visível que Ruy Carneiro (PSDB) elegeu Cícero Lucena (Progressistas) para atacar, como, da mesma forma, João Azevedo (Solidariedade) escolheu Walber Virgolino (Patriota) para o jogo pesado.

A curiosidade é que Ruy trafega eleitoralmente na mesma seara de Cícero. Como, de forma similar, Almeida orbita a mesma esfera bolsonarista de Walber. Então, por que as farpas tão pesadas? Aliás, ainda no caso de Ruy, é sabido que ele, no passado, não apenas era seguidor como foi apoiado por Cícero.

Bem, aparentemente, Ruy foi aconselhado por marqueteiros a bater para tentar tirar votos de Cícero na esperança de crescer nas pesquisas, uma vez que, pelo que se especula (com base em levantamentos anteriores), o candidato do Progressistas poderia estar à frente. Raciocínio similar se poderia aplicar ao embate de Almeida e Walber.

A estratégia vai dar certo? Difícil antecipar. Toda eleição tem sua própria história particular. No caso de Ruy, parece ser um risco calculado, afinal o deputado corre o risco de passar a imagem de ingrato em relação à pessoa que o abraçou no passado. Ruy foi secretário de Cícero e seu candidato, em 2004, na disputa pela prefeitura de João Pessoa. Mas, como franco atirador, talvez imagine ter pouco a perder.

No caso de João Almeida, o jogo é mais bruto. Enquanto Cícero tem um temperamento mais ameno, o mesmo não se pode dizer de Walber. O delegado tem pavio curto. As primeiras escaramuças já demonstraram que ele não é de levar desaforo pra casa. As balas trocadas sugerem um embate meio suicida e pode ter consequências no correr da campanha.

Helder Moura 

Compartilhar:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *