Presenciamos um ato abominável, que beira a falta de humanidade, por parte do senhor Antônio Pedrosa, diretor geral do Hospital Metropolitano, que quis retirar o direito dos profissionais de saúde e idosos de Santa Rita de tomar a vacina contra a Covid-19. Obrigando seus servidores a realizarem motim e tratando com fake news sobre o assunto, o diretor agiu de forma escusa e atentando contra a vida do povo santa-ritense.

Pedrosa não pensou no povo de Santa Rita, nem nos profissionais da vigilância em saúde, UPA, Samu, Centro de Testagem e profissionais de saúde da cidade que também atuaram na linha de frente no combate à pandemia. Todos que tem direito a vacina da mesma forma.

Recebemos informações de populares, e os relatos são que se sentiram atacados por uma conduta lamentável como essa. Nas redes sociais também correm relatos contra a ação vergonhosa do diretor geral Antônio Pedrosa.

Tivemos acesso a documentos que provam que o hospital solicitou todas as doses de vacina CoronaVac, querendo deixar a cidade sem nenhuma dose para vacinar seus idosos, por exemplo.

No dia 19, data que chegou vacina na cidade, foi pedido 1980 doses, mais do que o total recebido pela cidade que foi 1796. Ou seja, Antônio Pedrosa quis deixar Santa Rita sem nenhuma vacina, querendo absolutamente todas as doses para si.

Ainda conforme os documentos, dos mais de 300 profissionais do hospital que foram listados para receber vacina, somente 18 são de Santa Rita. Na unidade tem profissionais até de outros estados.

Uma ação inconcebível, de quem não pensa no mais de 200 idosos, frágeis e vulneráveis, que tem direito a vacina. Agindo como se fosse um rei, quis tomar do povo de Santa Rita o que lhe era de direito. Uma vergonha.

O motim de ataques e comentários ofensivos deveria ser voltado a quem tem uma atitude como essa, insensível e contra o povo, que falseia os fatos para tentar tomar a vacina de quem precisa.

Paraíba Urgente 

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui