Preocupada com a violência da mulher e com os números crescentes de agressões e mortes de mulheres (Feminicídios) na cidade de Santa Rita-PB, que não param, a Diretora de Enfrentamento Contra a Violência da Mulher, Isabel Cristina representando a Secretária da Mulher, se reuniu com o comandante do Sétimo Batalhão de Polícia Militar de Santa Rita, Tenente Coronel Pablo Cunha e traçaram metas para criação um banco de dados para obter informações sobre os casos e feminicídios no município, para combater a violência da mulher.

Para a diretora de enfrentamento contra a violência da mulher no município ressaltou que a criação da CPMP possibilitará, dentre outras ações, planejar campanhas preventivas voltadas para a segurança da mulher santa-ritense, e fomentar ações conjuntas com os órgãos da rede de enfrentamento à violência doméstica e familiar da Paraíba e criar banco de dados com informações capazes de mensurar a eficiência e eficácia do policiamento, reforçou Isabel Cristina.

“Contamos hoje com a representatividade da deputada Jane Panta (PP), na Assembleia Legislativa da PB, que possui posicionamento firme em defesa da mulher com proposituras e leis em todo o estado da Paraíba, e no Câmara de Santa Rita se levantou uma voz em defesa da mulher, trata-se do vereador Alysson Gomes que criou projeto de lei para endurecer ainda mais uma lei contra agressores condenados na Lei Maria da Penha para tentar a aplicação da vedação da contratação na administração pública municipal direta e indireta, temos representatividade feminina na Câmara de Santa Rita, que será preciso reunir a todos os 19 vereadores e criar mais mecanismos para reduzir a violência e conscientizar que a mulher não objeto”, propôs Isabel Cristina diretora do enfrentamento da mulher em Santa Rita.

Sobre a Patrulha Maria da Penha

Isabel Cristina declarou sobre os avanços e da finalidade da patrulha Maria da Penha (PMP) que é proteger a mulher em situação de violência doméstica e familiar. As equipes da PMP acompanham as vítimas para que a medida protetiva de urgência seja obedecida, um serviço que oferece acompanhamento preventivo periódico e garante maior proteção às mulheres em situação de violência doméstica e familiar, baseadas na Lei nº 11.340/2006 (Lei Maria da Penha), Isabel sugeriu que serão realizadas ações, cursos e capacitações voltadas para a proteção da mulher, finalizou.

Paraíba Urgente 

 

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui