Foto: divulgação

Um detento de 26 anos usou um alvará de soltura falsificado para deixar o Presídio Padrão de Catolé do Rocha, no Sertão da Paraíba. O caso aconteceu na segunda-feira (31).

Segundo Ronaldo Porfífio, da Gerência Executiva do Sistema Penitenciário (Gesipe) da Paraíba, a unidade penitenciária recebeu um e-mail com o documento, assinatura digital de uma juíza e uma guia de recolhimento. O servidor que verificou o e-mail não teria visto alterações e deu cumprimento ao procedimento de soltura. Porém, no fim do dia ao notificar o cumprimento do alvará para a Justiça, foi constatado que a documentação era falsa, incluindo a assinatura da magistrada.

Ronaldo destacou que a inteligência da Polícia Civil e do sistema prisional está trabalhando para identificar de onde partiu a falsificação, se de dentro da unidade prisional, se teve participação de servidor ou se houve envolvimento de servidores do poder judiciário ou da comarca, devido ao nível de complexidade da falsificação.

A Polícia concentra esforços para tentar recapturar o detento. A instituição afirmou que as primeiras informações não apontam envolvimento de servidores público, mas que no fim das investigações, quando o falsificador for encontrado, ele deve responder pelo crime de falsidade ideológica.

A produção do Sistema Arapuan tentou entrar em contato com a secretaria de Administração Penitenciária, mas até a publicação desta matéria não obteve resposta.

Portal Paraíba.com.br

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui