O almirante Bento Albuquerque, ministro de Minas e Energia, durante cerimônia no Palácio do PlanaltoSérgio Lima/Poder360 – 29.jan.2019

O Ministério de Minas e Energia publicou nesta 4ª feira (16.dez.2020) o Plano Nacional de Energia 2050. Nele, considera que, mesmo com a melhora da eficiência energética, a demanda por energia elétrica no país pode aumentar em 3,3 vezes.

Segundo a apresentação (íntegra – 7 MB), o país tem baixa disponibilidade energética per capita na comparação com outros países. Na comparação com os Estados Unidos, por exemplo, é quase cinco vezes menor.

“Isso nos dá ideia de como esse mercado tem escala para se desenvolver”, afirmou o secretário de Planejamento e Desenvolvimento Energético da pasta, Paulo César Domingues.

O ministro Bento Albuquerque (Minas e Energia) afirmou que, mesmo com o aumento, “o país passa atualmente por uma situação de abundância de fontes de energia”.

“A disponibilidade supera as previsões mais otimistas para os próximos 30 anos. Temos a grande oportunidade de nos tornarmos exportadores líquidos de energia embutido nessa mensagem está o fato de a mudança se dar em grande parte com recursos renováveis e limpos”, argumentou.

A respeito do documento, declarou que trará “melhores condições no processo de tomada de decisões sobre políticas energéticas com embasamento técnico e nivelamento de conhecimento com todos os agentes do setor”.

O texto não um cenário de referência, mas possibilidades para basear as escolhas dos próximos 30 anos. Ainda segundo o ministro, a intenção é atualizado a cada cinco anos.

“O PNE 2050 desenvolveu 64 cenários para avaliar a performance do segmento sob diversas circunstâncias e focar nos nossos grandes objetivos: segurança energética, preços justos aos consumidores e sustentabilidades ambiental e social”, argumentou. Leia a íntegra do estudo (7 MB).

Poder360

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui