Com gols de Wesley e Gabriel Menino, crias da Academia, o Palmeiras venceu o Grêmio, no Allianz Parque, por 2 a 0, para conquistar pela quarta vez na história a Copa do Brasil.  Após já ter vencido por 1 a 0 em Porto Alegre, o Alviverde se valeu dos contra-ataques para derrubar novamente os gaúchos.

Apesar de ter um time com contratações caras, foi a base que fez a diferença para o português Abel Ferreira levantar a segunda taça pelo Verdão.  Grêmio tenta reverter o quadro Sem outro remédio para ser campeão, o Grêmio tomou as rédeas da partida e foi para cima do Palmeiras.

Logo aos três minutos, Vanderson apareceu bem pela direita e mandou para o meio, mas Pepê não conseguiu chegar na bola. Aos cinco minutos, Alisson mandou arremate por cima da meta.  Com a vantagem da ida debaixo do braço, o Palmeiras jogou fechado, esperando um contra-ataque para avançar.

Aos sete minutos, o contra-ataque surgiu: Maicon errou em saída e Veiga acionou Rony. O ponta avançou, invadiu a área, mas Paulo Miranda bloqueou de forma providencial o chute.  Com ótima qualidade nas bolas em profundidade, Veiga era um homem importante na construção do jogo alviverde. Aos 13, o meia fez belo lançamento para Wesley, que parou em Paulo Victor em cabeçada.

Pouco depois, Veiga apareceu na área para finalizar e chegou a mandar para a rede, mas teve gol anulado.  Ao contrário do primeiro jogo, que foi bem amarrado, a decisão dessa vez teve uma partida aberta, com boas chances de gol. Depois de Maicon hesitar para finalizar bola na área, Diego Souza recebeu cruzamento de Diogo Barbosa e mandou cabeçada nas mãos de Wéverton.

O Tricolor era quem mais pressionava, mas sempre recebia resposta do outro lado (com protagonismo de Veiga). Veiga e Rony ameaçaram em chutes de fora, e Zé Rafael chegou mais perto do gol. O arremate, no cantinho, encontrou oposição de PAulo Victor, em bela defesa.

O Verdão assumiu o controle da partida na reta final do primeiro tempo, mas o 0 a 0 se manteve.  Verdão mata no contra-ataque O Grêmio voltou para o segundo tempo em cima do rival, mas o contra-ataque palmeirense foi fatal. Veiga partiu em velocidade, se livrou da falta e abriu para Wesley, que bateu de canhota para superar Paulo Victor.

Os gaúchos tiveram chance de resposta imediata com Thaciano, que recebeu cruzamento com toda liberdade na área para cabecear, mas a bola chegou fraca, e a cabeçada foi nas mãos de Wéverton.  Eram necessários dois gols para os tricolores levarem a decisão para os pênaltis.

Renato foi para o desespero: tirou o zagueiro Kannemann para a entrada do atacante Churín.  Com Patrick de Paula, Abel Ferreira fez de tudo para esfriar o jogo. Menino e Mayke entraram na direita para não deixar Ferreira, outro que saiu do banco, se criar no jogo.

Em mais um contra-ataque já perto do fim, o Palmeiras matou o jogo e levantou a taça. Após erro de passe de Maicon, Rony iniciou o contragolpe e Willian acionou Menino. O jovem avançou até a área, limpou a marcação e bateu para decretar: 2 a 0 para o Verdão, tetracampeão da Copa do Brasil.

O Gol 

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui