A Confederação Israelita do Brasil (Conib) anunciou através de nota oficial divulgada na noite desta sexta-feira (20) que prepara uma notícia-crime contra o ex-presidente do PTB e ex-deputado Roberto Jefferson.

Pelas redes sociais, o bolsonarista compartilhou uma foto de uma entidade segurando uma criança, estabelecendo relação entre os judeus e o infanticídio. “Baal, deidade satânica, cananeus e judeus sacrificavam crianças para receber sua simpatia. Hoje, a história se repete”, escreveu Jefferson.

Segundo a Conib, a publicação do ex-deputado é “abertamente antissemita”. “A Conib (Confederação Israelita do Brasil) prepara notícia-crime contra o senhor Roberto Jefferson, presidente nacional do PTB, que divulgou em seu perfil no Instagram mensagem abertamente antissemita evocando uma das formas mais vis de atacar os judeus, o infanticídio. A postagem caracteriza crime de racismo, com aumento de pena pelo fato de ter sido praticado por intermédio de rede social”, diz a nota da entidade, que também pediu ao Instagram a remoção da publicação do ex-parlamentar.

“Todo crime de racismo é repugnante e deve ser punido com o máximo rigor da lei. A história já nos mostrou, da forma mais dura e bárbara, como o racismo e o discurso de ódio são responsáveis pelos episódios mais terríveis da humanidade”, afirma ainda o texto da Conib.

Em resposta, Jefferson afirmou que a nota da Conib é uma “palhaçada” e “falta do que fazer”. “Sou um grande entusiasta dos judeus, o povo de Deus. Sempre o elogiei de público e tenho defendido nossa cultura judaico cristã. Mas há uns babacas que fazem questão de gerar tensões para aparecer. Essa direção da Conib quer sensacionalismo. Bobalhões”, postou.

Também pelas redes sociais, o grupo Judeus Pela Democracia repudiou as declarações do ex-deputado: “Roberto Jefferson, talvez o principal aliado político de bolsonaro, publicou isso em seu instagram. Trata-se de uma mentira histórica absurda e de um grave gesto antissemita. A única história que se repete é a intolerância com aqueles que são diferentes. Antissemitismo é crime!”.

O deputado estadual Carlos Minc (PSB-RJ), por sua vez, anunciou que levará o caso para a Comissão de Intolerância Religiosa da Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro (Alerj).

Revista Fórum

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui