O Grêmio é finalista da Copa do Brasil. Na noite desta quarta-feira, o Tricolor Gaúcho foi até o Morumbi e fez valer a vantagem conquistada no jogo de ida, quando venceu o São Paulo por 1 a 0, em Porto Alegre. Com a bola rolando, a equipe gremista mostrou todo seu espírito copeiro, e, com uma marcação implacável, anulou os são-paulinos para manter o placar zerado e garantir seu lugar disputa pelo título.

Com o 0 a 0, o time comandado por Renato Portaluppi leva a melhor no placar agregado e agora encara o Palmeiras, que eliminou o América Mineiro, na grande decisão da competição.  Grêmio administra e não corre riscos O Grêmio entrou bem mais ligado no Morumbi. Compacto e atento às transições, o time de Renato Portaluppi não deu espaços para o São Paulo, e, mesmo tendo menos a bola, criou as melhores oportunidades da etapa inicial.

Na melhor delas, aos dez, após cobrança de escanteio, Diego Souza desviou de cabeça e encontrou Victor Ferraz completamente livre. O lateral, na pequena área, bateu de esquerda e acertou a trave. Que chance! Com o passar do tempo, o Tricolor Paulista, apesar das dificuldades para acelerar o jogo, aumentou seu volume ofensivo e começou a dar mais trabalho para a defesa gremista.

Aos 28, Gabriel Sara recebeu de Tchê Tchê na área e bateu colocado, com perigo. Nos minutos finais, o panorama seguiu o mesmo. Em resumo, no duelo de estratégias, ao menos na primeira etapa, os gaúchos foram muito mais cirúrgicos e levaram o 0 a 0 para os vestiários. São Paulo insiste, mas não evita eliminação O segundo tempo não trouxe mudanças no desenho da partida.

O time de Fernando Diniz permaneceu com a posse de bola, mas sem dar profundidade, muito por conta das ausências de Reinaldo, suspenso, e de Luciano, que desfalcou a equipe por problemas musculares. O Grêmio, com o placar agregado favorável, não se incomodou em recuar suas linhas e ficar grande parte do tempo no campo de defesa. Pelo contrário.

O Tricolor Gaúcho aproveitou a lentidão e os erros de tomadas de decisão do São Paulo para administrar a vantagem e fazer o relógio correr. E ele correu. Com a obrigação de buscar o resultado, Diniz abdicou do seu padrão de jogo e mandou atacantes para campo nos minutos finais. No entanto, as alterações não surtiram efeito.

O jogo ficou truncado e acumulou paralisações, muitas forçadas pelo time visitante, que fez de tudo para a bola não rolar na reta final.    Nos acréscimos, os são-paulinos ainda tiveram uma grande oportunidade para levar o duelo para os pênaltis.

Aos 48, após levantamento na área, Kannemann desviou, Rodrigues tentou afastar e a bola sobrou para Toró, que, sozinho, cabeceou para Vanderlei fazer a defesa e garantir a classificação gremista à decisão da Copa do Brasil.

O Gol 

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui