Sem dar espetáculo, mas com imposição e eficiência, o Bayern conquistou, pela quarta vez em sua história, o Mundial de Clubes da Fifa. Nesta quinta-feira, em Doha, diante de um valente Tigres, do México, o time alemão dominou e contou com um gol polêmico de Pavard para garantir o caneco: 1 a 0.

Com o resultado, o time comandado por Hans-Dieter Flick fecha com chave de ouro uma temporada para lá de vitoriosa, com seis títulos conquistados. Do outro lado, os Incomparables voltam para casa orgulhosos por protagonizarem a melhor campanha de um clube mexicano na história dos Mundiais.

Tigres se segura Como era de se esperar, o Bayern de Munique foi superior e controlou as ações na final do Mundial de Clubes. No entanto, ao menos na primeira etapa, o time bávaro não encontrou tanta facilidade para ganhar espaços na área do Tigres. Bem postado na defesa e com muita coragem para descer para o campo de ataque, o time mexicano administrou com sabedoria a pressão alemã durante a maior parte do primeiro tempo.

Aos 17, Kimmich chegou a inaugurar o marcador, após chutaço de fora da área, mas o lance foi invalidado pelo árbitro de vídeo, que flagrou uma posição irregular de Lewandowski, que interferiu na jogada. Nada feito. O time comandado por Hans-Dieter Flick rondou a todo instante a área do Tigres, e, na melhor chance criada, acertou o travessão.

Aos 33, após cobrança rápida de escanteio, Sané recebeu na área e carimbou o poste. Com gol polêmico, Pavard sacramenta mais um título bávaro Na volta do intervalo, o panorama da partida seguiu o mesmo. O Bayern se manteve no ataque, e buscou acelerar as jogadas para criar mais espaços para as finalizações. Aos cinco, Gnabry tentou de fora, mas mandou por cima.

Até que aos 13, Lewandowski recebeu lançamento na área, disputou com o goleiro Guzmán, e a bola sobrou limpa para Pavard só empurrar para o gol. Depois de checagem do lance pelo árbitro de vídeo, o gol, que inicialmente foi anulado, acabou validado pela arbitragem. Um possível toque de mão do polonês no lance do gol causou polêmica, mas não foi percebido pela cabine do VAR.

Apesar de toda valentia e disposição, a equipe mexicana não conseguiu demonstrar poder de reação após o gol sofrido. Sem a mesma intensidade da primeira etapa, o Tigres viu os alemães administrarem com certa facilidade a vantagem.

Nos minutos finais, o time bávaro encontrou ainda mais espaços para fechar a conta. Aos 35, Tolisso recebeu na entrada da área e finalizou na trave. Pouco depois, foi a vez de Douglas Costa aparecer na área e obrigar Guzmán a fazer grande defesa. Parou por aí. Sem forçar, o Bayern é, pela quarta vez, campeão do Mundial de Clubes da Fifa.

O Gol 

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui