Continua depois da publicidade

Os mais de 60 mil torcedores presentes no Mineirão assistiram um recital de Hulk, que mesmo com o Atlético Mineiro longe de ser dominante, atormentou o Flamengo e com um gol e uma assistência comandou a vitória por 2 a 1 diante do Flamengo, pela partida de ida das oitavas da Copa do Brasil.

Atlético Mineiro e Flamengo voltam a se enfrentar no dia 13 de julho, no Maracanã. O Mengão precisa vencer com diferença de dois gols para se classificar de maneira direta. Uma vitória simples leva a decisão para os pênaltis. Quem avançar para a próxima fase recebe uma premiação de R$ 3,9 milhões.

Hulk, sempre ele O Flamengo até tentou surpreender e atacar o Atlético Mineiro nos primeiros minutos do jogo. Mas a postura ofensiva acabou se transformando em problemas com os espaços deixados na defesa. Aos 7, Mariano encontrou um lindo lançamento para Hulk, que ganhou na velocidade contra Rodrigo Caio, tocou por cima de Diego Alves que chegou para dividir e colocou o Galo na frente.

O gol cedo transformou o jogo em um confronto em que o Flamengo teve a bola e o Atlético apostou no contra-ataque. Aos 12, Andreas Pereira pegou um rebote na entrada da área, bateu forte e Everson espalmou para escanteio. O Mengão seguiu finalizando mais, só que na maioria das vezes sem levar grande perigo.

A posse seguiu, mas sem grande imposição.  O Atlético Mineiro vacilou por alguns momentos e quase entregou presentes para o Flamengo, mas logo voltou a se comportar bem em campo. O Galo não fez nenhuma questão de ter a bola e trocar passes no ataque por muito tempo e só apostou nas transições.

Do outro lado, o time carioca seguiu buscando, tentando de todas as formas, mas não fez Everson ter dificuldades. As chegadas mais perigosas do Flamengo foram em erros do Galo, mas faltou capricho para aproveitar. Aos 39, Andreas recebeu um passe errado, ficou livre na meia-lua, mas errou a assistência para Gabigol.

O time carioca marcou alto, causou problemas, mas não finalizou. A reta final seguiu intensa, mas o placar não foi mais alterado.  O Galo ganhou mais uma vez O ímpeto ofensivo do Flamengo no retorno para o segundo tempo foi ainda maior e o time carioca deu a impressão de que estaria perto do empate. Mas o roteiro da primeira etapa foi repetido.

Aos 10, Hulk puxou um contra-ataque pelo lado esquerdo desde o meio de campo, fugiu da falta, arrancou e deu um cruzamento perfeito para Ademir, que cabeceou com estilo e aumentou a vantagem do Galo.  Com a sua proposta dando resultado, o Atlético Mineiro seguiu sem fazer questão de reter a bola e continuou uma equipe muito vertical.

O Flamengo teve a bola, mas sentiu o golpe e pouco fez. O Rubro-Negro rodou a bola de um lado para o outro, esteve perto da área do Galo, mas parou no ferrolho e seguiu sem ter uma chance perigosa, em uma atuação pobre na criação.

A marcação do Atlético Mineiro encontrou um encaixe perfeito para não sofrer e os contra-ataques seguiram perigosos. Aos 24, Hulk acionou Arana, que foi até a linha de fundo, cruzou para trás e Nacho Fernández chutou de primeira para ótima defesa de Diego Alves. Aos 30, o goleiro do Flamengo voltou a aparecer muito bem e evitou o terceiro gol ao espalmar chute forte de Allan da meia-lua.

Uma bobeira do Atlético Mineiro foi suficiente para reacender o jogo. Aos 35, Rodinei recebeu com muito espaço na direita, cruzou forte e Lázaro apareceu livre na segunda trave para diminuir para o Flamengo. A reta final foi intensa, com o Rubro-Negro pressionando. Mas a melhor chance foi do Galo, aos 47, com Calebe recebendo na área e finalizando no pé da trave. No Mineirão, o Galo cantou mais alto.

O Gol

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui