O encontro ocorreu após a aglomeração promovida por Bolsonaro no Ceagesp, quando encenou preocupação com a população e chegou a reger a banda de música da Polícia Militar.

Segundo reportagem de Mônica Scaramuzzo, no jornal Valor Econômico desta quinta-feira (17), para não contrariar os convidados temas espinhosos não foram colocados à mesa no encontro que reuniu mais de 30 pessoas, entre elas Luiz Carlos Trabuco Cappi, presidente do conselho de administração do Bradesco, Sérgio Rial (Santander), Rubens Ometto Silveira Mello (Cosan) e Flávio Rocha (Riachuelo).

Em seu discurso, Bolsonaro ignorou a vacinação contra a Covid-19, enquanto Guedes falava da propalada “retomada em V” da economia. Entre empresários, a desconfiança era justamente como retomar a economia sem um plano de vacinação em massa da população – o que foi colocado em pauta por Guedes na sua entrevista à Veja.

Entre as promessas feitas pela dupla governista foram colocadas as reformas tributária e administrativa. Bolsonaro e Guedes ainda teriam ouvido elogios do presidente do Bradesco sobre as intervenções da equipe econômica para manter a liquidez durante a crise do coronavírus e sobre o movimento do Banco Central sobre a taxa de juros.

Bolsonaro e Guedes foram cobrados apenas sobre a necessidade de “melhorar a comunicação” e divulgar “pautas positivas” em relação ao meio ambiente, para se esquivar das “polêmicas” envolvendo o desmatamento da Amazônia.

Revista Fórum 

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui