O retorno ao estádio foi amargo para o torcedor palmeirense. Diante do Red Bull Bragantino, no Allianz Parque, o Verdão pecou, foi castigado pelo alto nível de eficiência do Massa Bruta e, com direito a noite inspirada do ex-palmeirense Artur, perdeu por 4 a 2.

Com o resultado, o time comandado por Abel Ferreira desperdiça a oportunidade de se igualar ao Flamengo na vice-liderança do Brasileiro e estaciona nos 39 pontos.

Do outro lado, o Braga se recupera de uma sequência de seis jogos sem vitória na competição e pula para quinta colocação, com 38. Em primeiro tempo alucinante, Bragantino é letal O Bragantino não se intimidou no Allianz Parque e partiu para cima do Palmeiras.

Aos quatro, Ytalo finalizou com perigo e obrigou Jailson a fazer boa defesa. A resposta alviverde veio na sequência com Dudu, que carimbou a trave após jogada ensaiada. A trocação franca premiou quem foi mais cirúrgico: o Massa Bruta.

Aos 12, após lançamento primoroso de Aderlan, Ytalo dominou, invadiu a área e bateu firme, sem chances de defesa para Weverton: 1 a 0. O gol abalou o Verdão, que perdeu o prumo e, após sequência de desatenções, viu o adversário abriu uma vantagem considerável no placar.  Aos 34, Danilo Barbosa vacilou duas vezes no mesmo lance e desviou chute de Cuello, que enganou Jaílson.

Dois minutos depois, após vacilo de Kuscevic na saída de bola, Artur recebeu de Ytalo e, fazendo valer a lei do ex, ampliou. De equilibrado, o jogo passou para um 3 a 0 em favor do Braga. Mesmo castigado pela eficiência do Bragantino, o time comandado por Abel Ferreira não desistiu da partida e esboçou uma reação ainda na primeira etapa. Aos 43, Kusevic chegou bem pela lateral e cruzou para Dudu, que testou firme e descontou para os donos da casa.

Palmeiras cresce, mas lei do ex assegura triunfo do Massa Bruta Em desvantagem, o Palmeiras cumpriu com a obrigação de lançar ao ataque na volta do intervalo. Com alto volume, o Verdão abafou o Bragantino em seu campo e pressionou até chegar ao segundo gol. Aos 15, Jorge ficou com a sobra na esquerda da área e foi derrubado. Pênalti.

Na cobrança, Raphael Veiga manteve o ótimo aproveitamento de suas batidas e colocou o Palmeiras no jogo outra vez. O segundo gol deu indícios de uma reação que não aconteceu. Diante de uma defesa bem montada e um contra-ataque desenhado do Bragantino, o Palestra sofreu na construção de ideias e passou a ter dificuldades para agredir. Para piorar, Artur, vivendo mais uma noite inspirada, aprontou mais uma das suas no Allianz Parque.

Aos 31, o camisa 7 do Braga recebeu bom passe na entrada da área e, com muita categoria, colocou na gaveta, sem chances para Jaílson: 4 a 2. O golpe foi demais para o Palmeiras. Desestabilizado outra vez, o Alviverde foi para o ataque de qualquer maneira, ainda chegou a acertar a trave, mas não encontrou forças para evitar a grande vitória do Red Bull Bragantino no Allianz.

O Gol 

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui