A mãe do menino Henry, Monique Medeiros, escreveu uma carta de 29 páginas onde apresenta uma nova versão dos fatos. Agora, a mãe do garoto, que durante o seu primeiro depoimento defendeu o vereador Dr. Jairinho, agora diz que o namorado é “um homem dominador e violento, e que se sentiu ameaçada por ele”.

O programa Fantástico teve acesso a carta escrita por Monique Medeiros. Em um trecho do documento, ela escreveu que “de madrugada, ele me acordou dizendo para eu ir até o quarto, que ele pegou o Henry no chão, o colocou na cama e que meu filho estava respirando mal”.

Na carta, Monique afiram que tentou “a todo custo” se “desvincular dele”, mas que foi “diversas vezes ameaçada” e que a sua família também recebia ameaças.

A polícia desconfia dessa nova versão apresentada por Monique, pois, na época do crime, ela declarou que “não acreditar que Jairinho tenha feito qualquer coisa contra o seu filho e que a relação entre ele era boa e ele sempre tentava cativar o amor de Henry”. Agora, Monique apresenta outra versão de toda a história e diz estar rompida com Dr. Jairinho.

“Jairinho começou a ter ciúme de eu ir na academia e até colocou gente pra me seguir e tirar foto de mim malhando pra saber com qual roupa eu estava indo treinar. Aí os ciúmes foram só piorando”, diz outro trecho da carta de Monique Medeiros.

Monique também escreveu sobre o dia em que a babá Thaina ligou para ela para relatar sobre a agressão de Dr. Jairinho contra Henry.

“Subi, briguei com o Jairinho e ele ficou sentado no sofá da sala dizendo que eu estava muito alterada e não tinha acontecido nada. (…) Que colocou Henry em cima da cama, ligou no desenho, mas que Henry ficou assustado porque ele fechou a porta pra ir ao banheiro e ele saiu correndo, escorregou da cama e bate joelho no chão. Peguei as coisas do meu filho e fui para casa dos meus pais. No carro eu perguntava se estava bem (…) pra ele confiar na mamãe e me contar toda a verdade. Contei para os meus pais, para o meu irmão (…) mas não tínhamos certeza porque o Henry não tinha marquinha e ainda não tinha nos contado que havia acontecido”.

A mãe de Henry também afirma que foi orientada a mentir em seu depoimento. “Preciso prestar novo depoimento, pois fui orientada a mentir sobre a noite da morte do meu filho. Fui treinada por dia para contar uma versão mentirosa por me convencerem de que eu não teria como pagar um advogado de defesa e que eu deveria proteger o Jairinho, já que ele se diz inocente”.

A polícia considera que Monique já teve oportunidade de prestar novo depoimento, mas não falou a verdade. O diretor da Polícia Civil do Rio disse em entrevista à rádio CBN que não há indícios de ameaças contra a Monique.

Com informações do G1

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui