Foto:Paraíba Urgente 

A Câmara de Santa Rita-PB, aprovou nesta quinta-feira (09) projeto de Lei 055/2021, que institui no município, “Dia Municipal de Conscientização e Apoio aos Portadores de Fibromialgia e Doenças Invisíveis em Santa Rita”. O projeto de Lei é de autoria do vereador Marinaldo dos Santos (PSDB), em sua justificativa, em plenário afirmou que é uma doença que atinge as mulheres com sintomas e sequelas gravíssimos  e que ainda não possui cura, e que o momento que se cria a lei, com data específica no Dia 07 Fevereiro o poder público municipal promoverá ações em prol das pessoas acometidas da doença e  atenção e cuidados sobre o mal tem chamado a atenção da ciência, o parlamentar destacou também a idealizadora do projeto que é vítima e sofre da síndrome e sequelas da doença a Professora Joelma Meireles da rede de ensino pública municipal de Santa Rita.

  • O autor do projeto, Marinaldo dos Santos afirmou da importância do dia que cria a  conscientização e apoio a Fibromialgia e as doenças invisíveis para o município, em que o  poder público municipal, estadual e federal irão promover ações e atos com setores também da medicina, em relação a doença para as mulheres que sofrem dessa patologia, que a partir da aprovação do projeto de lei, e com a data especifica em 07 de Fevereiro, que tanto a Câmara de Santa Rita como tanto o poder Executivo (prefeitura) ou Ong’s, ou quaisquer outras entidades, que cuidam de saúde, deverão se unir no município para discutir, planejar e tratar da doença que atinge um número grande de pessoas e que até agora não existe cura, e que será preciso união das secretarias da prefeitura de Santa Rita, em especial as secretarias de Saúde, educação e bem estar social, em atenção nos casos já existentes no município, e que atinge os servidores do poder público em todas as esferas, explicou o Autor Marinaldo dos Santos.

“As mulheres hoje sofrem muito e não sabem que possuem a patologia, são dores constantes que as impedem a executar qualquer coisa, principalmente as que estão em horário de trabalho quando estão exercendo suas funções, e hoje, a Câmara de Santa Rita institui como Lei e o poder gera atenção para as pessoas que sofrem dessa patologia maléfica, e não as sabem que possui, portanto, a partir de agora o poder público municipal de Santa Rita, atenderá mais uma prerrogativa que se torna Lei, que irão cuidar ou tratar da mulheres que sofrem de um mal com dores que as proíbem de efetuar qualquer tarefa ou quase tudo em suas vidas, em inclusive de Trabalhar”, declarou.

Já para a idealizadora do projeto e professora do município, Joelma Meireles, que é portadora da Síndrome há 25 anos, que luta com sintomas e sequelas, afirmou que nas escolas municipais dezenas e mais dezenas de servidores se queixam dessas dores e que depois foi descoberta a patologia, as reclamações passaram-se para o público causando aumentaram em geral, foi quando um grupo de mulheres, entre elas, “Joelma, resolvemos nos unir com o objetivo para criar o “Movimento das Mulheres de Fibra”, que seu maior objetivo foi alcançado com a Lei 055/2021 que institui no município a conscientização e o apoio das pessoas com a Síndrome, com data específica determinada”, que daqui pra frente, o poder público e os órgãos de saúde deverão se mobilizar em atenção a síndrome que abalam a saúde das mulheres e que é uma crescente em todo Brasil, e criar meios e alternativas para amenizar as dores enquanto a medicina não descobre a cura”, frisou a idealizadora do projeto Joelma Meireles.

A professora Joelma Meireles ressaltou ainda que em período eleitoral discutiu vários projetos com o atual vereador eleito Socialista Marinaldo dos Santos (PSDB), e pediu se caso, fosse eleito, ele se comprometeria em instituir por meio de projeto de lei que teria como objetivo a atenção e promover as pessoas portadoras com a Síndrome da Fibromialgia, portanto, o projeto de Lei 055/2021, foi aprovado a unanimidade e segue para sansão do prefeito Emerson Panta que é médico, e que contamos com sua promulgação. A professora Joelma Meireles afirmou ainda que o primeiro passo já foi dado com a Conscientização e Apoio da Fibromialgia e as Doenças Invisíveis, o outro seria a criação do Instituto de Portadores de Fibromialgia em toda a Paraíba, disse a idealizadora do projeto que é o maior desafio, finalizou.

Paraíba Urgente

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui