O vereador e candidato à reeleição na cidade de Maturéia, interior do Estado, Bruno Wanderley (Republicanos) foi notificado pelo Ministério Público Estadual para prestar esclarecimentos à respeito da prática de Nepotismo durante sua gestão à frente da Secretaria de Saúde do Município.

O Ministério Público apurou que o secretário no uso do cargo contratou diversos familiares para prestarem serviços à sua Secretaria, algo vedado pela lei, correndo o risco de ser condenado por Improbidade Administrativa e ser impedido de ocupar cargos públicos por 8 (oito) anos.

Enquanto tenta sustentar uma defesa perante à promotoria de Teixeira pra evitar o prosseguimento da denúncia, Bruno Wanderley também é alvo de diversos escândalos na cidade de Bayeux, região metropolitana de João Pessoa, onde ocupou por alguns meses o cargo de Secretário de Saúde.

Em Bayeux, Bruno Wanderley tem levantado suspeitas acerca de compras direcionadas de testes para o enfrentamento do COVID-19, aproveitando-se do decreto de Estado de Calamidade Pública. A denúncia é de que a maioria desses fornecedores são políticos, alguns do Alto Sertão, outros de Pernambuco, estado vizinho.

O vereador, genro do prefeito de Maturéia, Zé Pereira (Republicanos), também está envolvido em escândalos familiares com o advogado de campanha Israel Firmino, filho do companheiro de tribuna, Aprígio Firmino (Republicanos), o que vem dificultando as boas relações e a campanha em torno da reeleição do prefeito à cadeira Municipal.

As investigações acerca dos atos ilícitos descobertos durante os últimos anos na cidade têm sido encaminhadas a diversos órgãos de controle e fiscalização.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui