Bruno diz não ter problema em rediscutir modelo de integração dos ônibus urbanos em Campina Grande

Ciente da importância de se oferecer o sistema de transporte coletivo com o máximo de qualidade para a população, o candidato a prefeito de Campina Grande, Bruno Cunha Lima (PSD/Coligação Campina Rumo ao Futuro), afirmou nessa terça-feira, 27, em seu programa do Guia Eleitoral, existe um problema série para ser resolvido que é o modelo de integração, lembrando que há alguns meses a integração temporal foi implantada em fase de testes como alternativa à integração física.

Segundo ele, é preciso se estudar qualquer o modelo mais aceitável e qual o prazo de validade do bilhete, pois, ao que parece, os 70 minutos dados ao usuário em Campina Grande não tem sido suficientes. Por isso, pretende rediscutir qual o melhor modelo pra cidade. Com isso, as pessoas poderão opinar se preferem a integração física ou temporal, desde que seja revisto o prazo de validade do bilhete.

Também serão oferecidas aos campinenses outras alternativas de locomoção como as ciclovias. Alguns anos atrás, Campina Grande tinha apenas sete quilômetros e hoje são mais de 60 quilômetros de ciclovias e ciclofaixas. Esta malha será interligada para que as pessoas possam ir de bicicleta para qualquer lugar.
Ele ressaltou, ainda, ser preciso entender que o foco do debate não são os ônibus, mas sim as pessoas. Por isso, defende a mobilidade humana e não apenas a mobilidade urbana, pois a lógica é devolver à cidade às pessoas que vivem nela.

Por isso, serão implantadas paradas de ônibus inteligentes e sustentáveis com iluminação, com internet e com painéis de informação dos horários dos ônibus em tempo real. Garantiu que vai cobrar a qualidade do transportes, a quantidade de ônibus e a idade da frota. Poderá, inclusive, abrir edital de licitação para a concessão do sistema.

ParaíbaRádioBlog 

Compartilhar:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *