Foto: Leonardo Silva/Paraibaonline

O discurso de posse de Bruno Cunha Lima (PSD) ao ser alçado à condição de prefeito de Campina Grande, dia 1º último, foi de conclamação a um “pacto de união” em torno de Campina Grande.

Leia trechos do seu discurso.

“(Romero foi) Um dos maiores prefeitos da história de Campina Grande, que transcendeu a relação da aliança política, porque é um grande amigo (…) Não vou me acostumar a chamá-lo de ex-prefeito.

“Aqui não é apenas um sonho que se realiza, é um marco que se estabelece (citando o ex-governador Ronaldo Cunha Lima).

“A partir de hoje (dia 1º) não terei apenas a honra de governar, mas o dever de mudar Campina. Repousa sobre nós (eu e Lucas) a responsabilidade de ajudar a Rainha da Borborema a atravessar um dos instantes de maior tensão da história recente da humanidade.

“E vamos mudar. Não sozinhos. Não com a força do próprio braço. Não pela intransigência da imposição. Mudaremos porque vamos mudar juntos, unindo forças, através do convencimento, da sinceridade e da verdade.

“Mudaremos. Não porque o que nos trouxe até aqui não serve. Pelo contrário. Somos o resultado do trabalho de todos que nos antecederam; de todos aqueles que pública ou anonimamente se dedicaram a esta cidade. Mudaremos porque os nossos dias exigem de nós novas habilidades, resiliência e capacidade de adaptação.

“Quero propor um ´pacto de união´ pela cidade. A política eleitoral e partidária tem o seu valor e o seu espaço. É importante para a democracia, mas não pode ser bem-vinda a todo instante numa gestão.

“O que nos une precisa ser maior do que o que nos separa. Estou certo que por maiores que sejam as diferenças ideológicas, partidárias e até morais, no fundo queremos ver a essa cidade melhor.

“Queremos um lugar onde as crianças, sejam elas filhas de ricos ou de pobres, tenham oportunidades equivalentes (…) Queremos que a capital do trabalho seja também a capital do respeito.

“Nunca houve problema tão grande, barreira tão alta ou desafio tão duro que impedisse Campina de cumprir a sua vocação: ser grande. Pra mim fica muito claro que se estivermos unidos, estaremos mais fortes para enfrentar esse instante de instabilidade. Essa união não pressupõe uniformidade. Não desejo que todos pensem igualmente. Precisamos respeitar as diferenças.

“Ser prefeito de sua cidade é a mais alta honraria que um homem público pode ter (citando o ex-prefeito Cássio Cunha Lima).

“Aprendi com o meu avô (Ivandro Cunha Lima), que devemos ser firmes nas nossas convicções, mas não nas palavras.

“A verdade é que o mundo mudou. As pessoas mudaram. Mudaram as formas de produzir, o jeito de consumir; mudaram os meios de comunicação.

“A classe política precisa aprender a mudar, sob pena de vermos crescer a desconfiança e o descrédito, que tem sido a base da relação dos governados com boa parte dos governantes; dos representados com grande parte dos representantes”.

*com informações da coluna Aparte, assinada pelo jornalista Arimatéa Souza

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui