Brasil terá 150 milhões de doses da Sputnik V disponíveis, informa RFPI

O Fundo Russo de Investimentos Diretos (RFPI, na sigla em russo) informou nesta quarta-feira (13) que dez milhões de doses da vacina Sputnik V contra COVID-19 serão disponibilizadas ao Brasil no primeiro trimestre deste ano.

As primeiras entregas do imunizante serão feitas ainda em janeiro. Até o fim de 2021, 150 milhões de doses do imunizante serão entregues ao Brasil.

O acordo foi firmado após uma reunião entre Kirill Dmitriev, diretor-geral do RFPI, com Fernando de Castro Marques, presidente da farmacêutica brasileira União Química.

Como parte da parceria com a União Química, o RFPI vai facilitar a importação de tecnologia da Sputnik V para o Brasil, incluindo fornecimento de documentos e biomateriais. A produção local da Sputnik V no Brasil foi iniciada em janeiro.

Além disso, o RFPI e a União Química vão solicitar ainda nesta semana a autorização de uso emergencial da Sputnik V à Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa).

​O RFPI vai fornecer dez milhões de doses da vacina Sputnik V ao Brasil no primeiro trimestre de 2021. As primeiras entregas começarão já em janeiro. Delegação da União Química do Brasil chefiada pelo Presidente Fernando De Castro Marques se reuniu hoje com o diretor-geral do RFPI, Kirill Dmitriev.

Um grupo de cerca de 20 brasileiros que trabalham na embaixada da Rússia no Brasil já estão sendo vacinados com a Sputnik V. As informações foram publicadas no site do próprio RFPI.

“Nossos parceiros da União Química foram um dos primeiros no mundo a se interessar pela vacina russa Sputnik V. Por nossa parte, estamos prontos para uma cooperação em larga escala no fornecimento e na produção para iniciar a vacinação da população no Brasil o mais rápido possível”, destacou Kirill Dmitriev.

O uso emergencial da Sputnik V foi aprovado em vários países, incluindo Argentina, Bolívia, Argélia, Sérvia e Palestina.

“A Sputnik V é uma vacina segura e eficaz criada em uma plataforma comprovada e bem pesquisada de vetores adenovirais humanos. Vários países da América Latina já estão vacinando pessoas com a Sputnik V e esperamos que o Brasil se junte a eles nas próximas semanas”, completou Dmitriev.

O RFPI e a União Química também informaram que vão propôr aos países do BRICS para que seja criada uma força-tarefa para combater a COVID-19 e realizar cooperação em vacinas.

No dia 29 de dezembro, a União Química submeteu o pedido para a realização de testes clínicos da fase 3 no Brasil à Anvisa.

Mais de 1,5 milhão de pessoas já foram vacinadas com a Sputnik V no mundo até esta quarta-feira (13). A eficácia da Sputnik V é superior a 90%, com proteção total contra casos graves de COVID-19.

Sputnik 

Compartilhar:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *