Brasil alcançou 220 mil mortes por COVID-19 até esta quinta-feira (28/01)
(foto: MÁRCIO JAMES/AFP)

pior enfrentamento à  COVID-19 é realizado no Brasil numa comparação mundial de países de todos os continentes. Em um ranking, que inclui 98 países, o Brasil ocupa a última posição do ranking elaborado pelo Lowy Institute, organização baseada em Sydney, na Austrália.

O levantamento se baseou em seis critérios: total de casos confirmados, total de mortes, casos confirmados por milhão de habitantes, mortos por milhão de habitantes, nível de testagem e casos confirmados por testes.
O enfrentamento mais efetivo à pandemia é realizado na Nova Zelândia no bloco de melhores práticas estão Vietnã, Taiwan, Tailândia, Cyprus, Ruanda, Islândia, Austrália, Latvia e Sri Lanka.
Países europeus, como Alemanha e Itália, estão em posições intermediárias na tabela, respectivamente na 55ª e 59ª colocações. Reino Unido,  França e Espanha têm performances piores diante da pandemia 66ª, 63ª e 78ª posições.
O desempenho do Brasil é pior do que o dos vizinhos Chile (89ª), Bolívia (93ª) e Colômbia (96ª).  Os Estados Unidos estão na 94ª posição a China não foi incluída no ranking pela lacuna na divulgação de dados sobre testagem
O Lowy Institute é uma organização independente e não partidária de políticas internacionais. Fornece pesquisa de alta qualidade e perspectivas distintas sobre as tendências internacionais que moldam a Austrália e o mundo.

O que é o coronavírus

Coronavírus são uma grande família de vírus que causam infecções respiratórias. O novo agente do coronavírus (COVID-19) foi descoberto em dezembro de 2019, na China. A doença pode causar infecções com sintomas inicialmente semelhantes aos resfriados ou gripes leves, mas com risco de se agravarem, podendo resultar em morte.
transmissão dos coronavírus costuma ocorrer pelo ar ou por contato pessoal com secreções contaminadas, como gotículas de saliva, espirro, tosse, catarro, contato pessoal próximo, como toque ou aperto de mão, contato com objetos ou superfícies contaminadas, seguido de contato com a boca, nariz ou olhos.
A recomendação é evitar aglomerações, ficar longe de quem apresenta sintomas de infecção respiratória, lavar as mãos com frequência, tossir com o antebraço em frente à boca e frequentemente fazer o uso de água e sabão para lavar as mãos ou álcool em gel após ter contato com superfícies e pessoas. Em casa, tome cuidados extras contra a COVID-19.
Vídeo: Flexibilização do isolamento não é ‘liberou geral’; saiba por quê

Principais sintomas das pessoas infectadas pela COVID-19:

  • Febre
  • Tosse
  • Falta de ar e dificuldade para respirar
  • Problemas gástricos
  • Diarreia
  • Em casos graves, as vítimas apresentam:
  • Pneumonia
  • Síndrome respiratória aguda severa
  • Insuficiência renal
  • Os tipos de sintomas para COVID-19 aumentam a cada semana conforme os pesquisadores avançam na identificação do comportamento do vírus

Mitos e verdades sobre o vírus

Nas redes sociais, a propagação da COVID-19 espalhou também boatos sobre como o vírus Sars-CoV-2 é transmitido. E outras dúvidas foram surgindo: O álcool em gel é capaz de matar o vírus? O coronavírus é letal em um nível preocupante? Uma pessoa infectada pode contaminar várias outras? A epidemia vai matar milhares de brasileiros, pois o SUS não teria condições de atender a todos? Fizemos uma reportagem com um médico especialista em infectologia e ele explica todos os mitos e verdades sobre o coronavírus.
Coronavírus e atividades ao ar livre: vídeo mostra o que diz a ciência
Estado de Minas 

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui