Imagine um ano inteiro desperdiçado em dois meses. Simples assim, em fevereiro tudo o que você gostaria de pensar já seria em janeiro do ano seguinte. Para o Atlético Mineiro, foi quase assim. Eliminado da Copa Sul-Americana no dia 20 de fevereiro e, uma semana depois, da Copa do Brasil pelo Afogados da Ingazeira, o Galo dava sinais de ser um desastre completo.

Para mudar o panorama, saiu Rafael Dudamel, ex-técnico da seleção venezuelana, e chegou Jorge Sampaoli, badalado pelo bom trabalho feito no Santos. Sampaoli renovou as esperanças do Atlético. O clube liderou o Brasileirão por sete rodadas, segue na briga pelo título e bem encaminhado por uma vaga na próxima Copa Libertadores.

Nada mal para quem havia perdido o norte com apenas 56 dias corridos em 2020. Ano do Atlético em números: Jogos: 46 Vitórias: 26 Empates: 10 Derrotas: 10 Gols marcados: 78 Gols sofridos: 48 Jogador que mais atuou: Allan, com 38 jogos Artilheiro: Keno, com 11 gols Garçom: Savarino e Keno, com 7 assistências

O Gol 

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui