Pré-candidatos à Presidência da República e ao Governo da Paraíba – Foto: Reprodução

O período reservado às convenções partidárias se ultimarão no próximo dia 05 de agosto. Os 32 partidos que dispõem de registro no TSE necessariamente terão que realizar seus conclaves nacional e estaduais para decidirem suas chapas majoritárias e proporcionais a fim de concorrem aos respectivos pleitos em disputas e/ou prestarem o apoio formal, dando por consequência o direito de o candidato escolhido ao cargo majoritário reunir em seu favor os tempos destinados a cada partido, no período da propaganda eleitoral de rádio e TV.

Continua depois da publicidade

No plano nacional as coisas se definem para a disputa presidencial. As candidaturas, como a de Lula (PT), a de Bolsonaro (PL), a de Ciro (PDT) e a de Simone Tebet (MDB) já estão com suas respectivas atas disponível no TSE, uma vez da obrigatoriedade do ato de registro de suas decisões estarem submetidas ao prazo de até o dia seguinte à realização da convenção.

Desse modo, já se sabe que o PSB indicará o vice de Lula (PT) e de que o PSDB e o Cidadania marcharão com Simone Tebet (MDB).

Aqui na nossa Paraíba as definições para o registro oficial estão em curso. Mas, situações chamam a atenção.

A candidatura de reeleição à Governador de João Azevedo (PSB) projeta reunir em seu palanque de forma oficial os seguintes partidos: PP – PMN – PSD – SOLIDARIEDADE – PATRIOTA – REPUBLICANO – PODEMOS – AGIR36 – AVANTE. E, através de apoio político os seguintes partido: REDE – PV – PCdoB, por deliberação partidária, um vez que a partir da consumação em Federação Partidária o apoio formal fica a ela submetida. Ou seja, como o partido REDE está em Federação com o PSOL, que apresenta candidata ao Governo da Paraíba, não poderá emprestar de forma oficial seu apoio à reeleição do Governador João Azevedo (PSB). Da mesma forma o PV e o PCdoB como estão em Federação com o PT aguardam a deliberação da instância nacional da Federação acerca do impasse causado, já que o PT paraibano após sucessivos atos autoritários e antidemocráticos impôs uma falsa maioria em favor da candidatura de Veneziano (MDB).

A situação na qual o PT paraibano se inseriu é estranha e despropositada no plano estadual, pelo fato de ter composto a aliança formal quando da eleição do Governador João Azevedo em 2018 e participar do seu governo desde então, inclusive com a indicação de Secretário de Estado. Já para o plano nacional – se a intenção era contribuir – se viu que a tática de ajudar na construção de candidaturas do MDB nos estados em favor de uma aliança nacional em 1° Turno com o PT não surtiu o efeito esperado, já que Simone Tebet foi consagrada candidata à Presidenta pelo MDB com uma amplíssima maioria, sendo computado na convenção 292 votos a favor e 4 votos contra.

Ou seja, o PT paraibano espera a definição da Federação BRASIL DA ESPERANÇA para saber quem utilizará o tempo de propaganda eleitoral de Rádio e TV. Se o candidato Veneziano (MDB) ou o candidato João Azevedo (PSB).

O interessante para essa definição é que algo inusitado estará materializado na Campanha. O Candidato a Governador Pedro Cunha Lima (PSDB) poderá de forma oficial pedir votos para a Candidata a Presidenta Simone Tebet (MDB), já que a Federação PSDB-Cidadania integram a coligação do MDB nacionalmente.

Já o Candidato à Governador Veneziano (MDB) será dissidente e pedirá votos para o Candidato Lula (PT).

Logo, logo tudo estará consolidado. Só não consigo enxergar qual o capital político eleitoral que a campanha a Presidente de Lula (PT) disporá na Paraíba emprestando um apoio único ao MDB paraibano. Já que por decisão, prefeitos, vereadores e inúmeras lideranças do MDB já estão na campanha de João governador e de Lula presidente de corpo e alma.

Mas, enxergo algo: o PT paraibano hoje tem um dono e, infelizmente, pelas suas relações, está submetendo a campanha de Lula em nossa Paraíba a uma mediocridade ignóbil. Tudo em nome de uma candidatura ao Senado da Paraíba que sequer há certeza se será colocada como opção ao eleitor, em face da Inelegibilidade!

As decisões de convenções consolidarão o formato, a espécie e o tamanho de campanha presidencial em nosso Paraíba.

Anselmo Castilho
Julho/2022

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui