Após receber pedido de impeachment da Alerj, Witzel diz: “Espero que o presidente possa me receber para a gente conversar”.

O governador do Rio de Janeiro, que já está sendo investigado pela Polífica Federal (PF), após diversas irregularidades em contratos com hospitais de campanha, com a famosa Operação Placebo, em entrevista à Radio Band News, mandou uma mensagem para o Presidente Bolsonaro:

“É uma prática que vem acontecendo há muito tempo, o uso político da própria instituição para se fortalecer e ganhar força depois. Não estou dizendo que todos na instituição façam isso. O que levaram para o ministro (Benedito Gonçalves, do Superior Tribunal de Justiça) é uma narrativa fantasiosa na Operação Placebo. Não houve cuidado de se fazer investigação mais aprofundada. O assassinato de reputação, essa espetacularização começou com o PT, Romeu Tuma (ex-secretário Nacional de Justiça do governo Lula)”.

Atualmente, o governador está sofrendo um processo de impeachment, que já começou na Assembleia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro (Alerj), com mais de 50 votos à favor, entre os 70 presentes, além disso, há diversos votos à favor de deputados estaduais de seu próprio partido.

Welesson Oliveira 

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui