Sua prisão aconteceu em fevereiro de 2020, no estado do Rio, após pedido feito pelo governo dos EUA, onde Wanzeler é acusado de fraudes financeiras por meio de um suposto esquema de pirâmide. (Foto: Reprodução)

O ministro Ricardo Lewandowski decidiu revogar a prisão preventiva para fins de extradição do ex-sócio da empresa Telexfree, Carlos Wanzeler.

Sua prisão aconteceu em fevereiro de 2020, no estado do Rio, após pedido feito pelo governo dos EUA, onde Wanzeler é acusado de fraudes financeiras por meio de um suposto esquema de pirâmide.

A revogação aconteceu em função de uma decisão do presidente Jair Bolsonaro. Nos autos do processo, Bolsonaro decidiu que a “extradição será executada somente depois da conclusão dos processos penais em tramite no Brasil ou do cumprimento das respectivas penas”.

Lewandowski entendeu, então, que Wanzeler responderá em liberdade. Medidas para evitar sua fuga foram estabelecidas, como a entrega de passaportes e a proibição de sair do Brasil.

O Globo

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui