Manaus – Na manhã desta segunda-feira (8), desembargador aposentado, Rafael Romano foi condenado a 47 anos de prisão por estupro de vulnerável à própria neta, caso ocorrido nos anos de 2009 à 2016. O caso foi denunciado ao Ministério Público pela mãe da garota, identificada como Luciana Pires, em fevereiro de 2018.

Na ocasião, a neta de Rafael tinha 7 anos de idade quando os abusos começaram. A mãe da menina informou que o primeiro estupro aconteceu quando teve que viajar para cuidar da mãe que estava hospitalizada, passando por tratamento de saúde, e a criança tinha que ficar com o avô.

De acordo com o boletim de ocorrência registrado por Luciana, o ex-desembargador dizia palavras maliciosas à filha. “Ele dizia à neta que ‘gostava dela bem lisinha’ e também insinuou que a menina também gostava desses atos. Esse homem chegava a machucar os seios da minha filha, além de arranhá-la com a barba. Algumas vezes cheia de marcas, mas nunca imaginaríamos que fosse abuso”, contou.

CM7

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui