O presidente venezuelano, Nicolás Maduro (e), ao lado do colega iraniano Ebrahim Raisi (d), após encontro em Teerã.
 AP – Vahid Salemin

Irã e Venezuela assinaram neste sábado (11) um acordo de cooperação de 20 anos em diversas áreas. O compromisso, sobre o qual poucos detalhes foram revelados, foi firmado durante uma visita do presidente venezuelano, Nicolás Maduro, a Teerã.

Continua depois da publicidade

A assinatura do pacto “mostra a determinação dos altos funcionários dos dois países para desenvolver as relações em diferentes campos”, afirmou o presidente iraniano, Ebrahim Raisi, ao lado do chefe de Estado venezuelano. As informações são da televisão estatal iraniana.

Já Maduro afirmou que os dois países compartilham uma “amizade indestrutível” e destacou que possuem “grandes frentes de cooperação” nas áreas de petróleo, gás e petroquímica, “a nível financeiro, com o Banco Nacional de Desenvolvimento Irã-Venezuela” e também no setor de defesa.

O documento foi assinado pelos chefes da diplomacia dos dois países. A agência oficial iraniana IRNA destacou que os “ministros envolvidos dos países concluíram acordos de cooperação nos âmbitos político, econômico, turístico, petroleiro e petroquímico”, durante a visita de Maduro a Teerã.

Aliados têm um ponto em comum: sanções dos EUA

Maduro mencionou “projetos conjuntos entre os dois países para produzir alimentos na Venezuela e exportar ao Irã” e para outros países da região. O presidente venezuelano citou o “milagre econômico na produção de alimentos” realizado pelo Irã, que pode inspirar seu país.

Além disso, o Maduro anunciou a retomada a partir de 18 de julho de um voo Caracas-Teerã. “A Venezuela está aberta a receber o turismo do Irã, para que venham desfrutar da beleza do Caribe, dos Andes, da Amazônia”, disse.

O Irã é um dos principais aliados da Venezuela. Os dois países têm como ponto em comum o fato de serem alvos de sanções severas dos Estados Unidos.

Antes de visitar o Irã, Maduro viajou à Turquia e Argélia durante a semana.

(Com informações da AFP)

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui