Advogados presos na Operação Armistício, deflagrada pelo Ministério P´úblico do Espírito Santo (MPES), foram levados para a sede do Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco), em Vila Velha, na manhã desta segunda-feira (19).

Eles são investigados por promoverem comunicação entre internos do sistema prisional e organizações criminosas e foragidos da Justiça.

A operação está com nove mandados contra advogados. Mas nem todos foram presos. A operação foi acompanhada pela Comissão de Prerrogativas da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB).

Os nomes dos suspeitos não foram divulgados.

Foto: Reprodução TV Vitória

TV Vitória acompanhou a chegada de duas advogadas detidas no final da manhã. Uma delas estava com o rosto coberto. A outra permaneceu num carro descaracterizado do Gaeco.

A comunicação promovida pelos advogados, segundo o Ministério Público,  colaborava com os crimes de tráfico de drogas, aquisição de armamentos e munições, planejamento de homicídios, queima de ônibus e outras ações violentas. Os fatos foram confirmados por meio de provas obtidas após interceptações telefônicas e diligências

Folha Vitória 

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui