Continua depois da publicidade

Foto: Paraibaonline

O advogado Harrison Targino, que atuou nos processos das Ações de Investigação Judicial Eleitoral contra o ex-governador Ricardo Coutinho (PSB), ainda decorrentes das eleições de 2014, comentou o julgamento do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) ocorrido na noite dessa terça-feira (10), que tornou inelegível o ex- gestor paraibano.

Ele lamentou a demora da Justiça de se reconhecer o que se estava perceptível. “Que sirva de lição institucional às instituições da Paraíba o que ocorreu neste caso”, disse.

Em entrevista à imprensa de João Pessoa, o advogado destacou que o TSE reconheceu o abuso de poder político nas eleições de 2014 , ao que a defesa do então candidato ao governo da Paraíba Cássio Cunha Lima (PSDB) insistia em dizer e não foi ouvido pela Justiça Eleitoral da Paraíba.

“Lamentavelmente, se permitiu que Ricardo Coutinho ficasse no poder durante todo o tempo fazendo as suas estripulias e lhe garantindo legitimidade eleitoral”, disse.

Para o advogado, o TSE pôs o ponto certo declarando a inelegibilidade, cassando a elegibilidade de Ricardo Coutinho, colocando-o dentre os condenados pela Lei da Ficha Limpa, “portanto o colocando no rol dos fichas-sujas e fazendo aplicar imediatamente a decisão”, explicou.

Contudo, Targino afirmou que  só lamentava que tenha demorado tanto o desenrolar do processo da sentença condenatória. “Pena que não se tenha visto o que estava a olhos fáceis de perceber e estava sendo denunciado por todos. Os descalabros, os abusos e essa sequência de fatos que a Paraíba hoje conhece em relação ao Governo de Ricardo Coutinho”, desabafou o advogado.

Paraíba Online 

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui