Presidente Jair Bolsonaro participa da cerimônia de inauguração do Centro de Operações Espaciais Pincipal -(COPE-P) operação Sérgio Lima/Poder360 23.06.2020

Caso Queiroz, no entanto, teve pouco impacto na avaliação do governo Jair Bolsonaro em relação há duas semanas: 41% aprovam a gestão do militar; 49% desaprovamSérgio Lima

Pesquisa do DataPoder360 mostra que 49% dos que ouviram falar do caso Fabrício Queiroz acham que o presidente Jair Bolsonaro está envolvido em atos ilegais que possam ter sido cometidos pelo seu filho 01, o senador Flávio Bolsonaro (Republicanos-RJ), e seu ex-assessor. Os que sabem do caso e não acreditam na participação de Bolsonaro são 35%.

A ligação de Bolsonaro com o caso foi questionada pelo DataPoder360 apenas a quem disse conhecer o tema. São 79% os que ao menos ouviram falar do esquema das “rachadinhas” no gabinete do 01 quando este era deputado estadual na Alerj (Assembleia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro).

Queiroz foi preso na semana passada no caso das “rachadinhas” –prática em que assessores devolvem parte de seus salários aos políticos que os contratam– no gabinete de Flávio na Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro.

O então assessor, amigo da família Bolsonaro há 3 décadas, movimentou cerca de R$ 1,2 milhão em suas contas em 2018, quando Flávio era deputado estadual. O Coaf (Conselho de Controle de Atividades Financeiras) considerou o montante incompatível com sua renda.

Receba a newsletter do Poder360

No momento da prisão, Queiroz estava na casa de Frederick Wassef, que era então advogado de Flávio e de Bolsonaro. Wassef deixou a defesa do senador depois da prisão. Entenda o caso nesta reportagem.

Fabrício Queiroz sentado enquanto policiais cumprem mandado de busca e apreensão em casa em AtibaiaPolícia Civil-SP – 18.jun.2020

Levantamento do Datafolha publicado na 6ª feira mostra que 64% dos entrevistados acham que Bolsonaro sabia onde estava Fabrício Queiroz. Só 21% avaliam que o presidente não tinha conhecimento sobre o ex-assessor. Outros 15% disseram não saber opinar.

A pesquisa foi realizada de 22 a 24 de junho de 2020 pelo DataPoder360divisão de estudos estatísticos do Poder360, por meio de ligações para celulares e telefones fixos. Foram 2.500 entrevistas em 549 municípios, nas 27 unidades da Federação. A margem de erro é de 2 pontos percentuais e o nível de confiança é de 95%. Saiba mais sobre a metodologia lendo este texto.

O estudo, no entanto, indica que até agora o caso Queiroz teve pouco impacto na avaliação que os brasileiros fazem do governo e do presidente. As curvas de aprovação e rejeição tiveram quase nenhuma alteração em relação há 15 dias.

AVALIAÇÃO X CASO QUEIROZ

As opiniões em relação à hipotética coparticipação de Jair Bolsonaro no suposto esquema de Flávio e Queiroz são bem polarizadas em relação à sua avaliação pessoal. Entre os que consideram o trabalho do presidente bom ou ótimo, só 9% acham que o mandatário está envolvido.

Dentre o público que avalia o trabalho do presidente como ruim ou péssimo, os que acham que ele está implicado nos crimes que teriam sido praticados pelo filho e pelo amigo da família formam uma taxa muito maior, de 71% –cerca de 8 vezes a mais que os apoiadores.

ENTENDA O CASO QUEIROZ

Poder360 preparou infográficos sobre os principais envolvidos na investigação:

DATAPODER360

Poder360

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui