A Neo Química Arena ficará marcada para o Vasco como o palco de mais um rebaixamento. Mesmo que ainda não esteja 100% confirmado. O 0 a 0 deste domingo, contra o Corinthians, deixa o Cruz-Maltino com um pé e meio na Série B. E os paulistas mais distantes da vaga na Libertadores.  Com 38 pontos, o Vasco está a três de Bahia e Fortaleza, primeiros times fora da zona de rebaixamento.

Mas com uma vitória a menos que os baianos, só pode ultrapassar os cearenses, mas para isso terá ainda de contar com uma derrota do rival e reverter um saldo de 12 gols de diferença.  O Timão também vê seu objetivo ficar mais complicado e, com 50 pontos, pode ver a chance de subir ao G8 caso o Santos não perca para o Fluminense mais tarde.

Ninguém merece mais que 0 a 0 As duas equipes se mostravam mais confortáveis quando partiam em ataques rápidos ou contra-ataques. Os ataques posicionais não funcionavam tão bem.  Depois de um início de jogo equilibrado, de poucas emoções, o Corinthians conseguiu a primeira boa chance da partida aos 16 minutos.

A jogada foi trabalhada com rapidez, e Fagner recebeu em infiltração na área. O lateral bateu forte, mas Fernando Miguel defendeu.  Depois da chance, o Timão conseguiu certa superioridade na partida. Com Fagner como válvula de escape pela direita, mostrou mais condições de levar perigo. Embora também não fizesse um grande jogo.

O primeiro tempo foi de raros lances de perigo. Os cariocas só conseguiram ameaçar em chutes de fora da área. O mais perigoso deles foi de Carlinhos, aos 37 minutos. O 0 a 0 ao intervalo foi inevitável.  Drama em Itaquera Buscando deixar seu time mais criativo no segundo tempo, Vágner Mancini colocou no intervalo Cazares. Perdeu, por outro lado, Fagner, lesionado.

Michel assumiu a lateral direita.  A entrada de Cazares não resolveu os problemas corintianos. Faltava ao time um Otero. Faltava arriscar mais. O Timão rondava a área sem finalizar. Quando conseguiu penetrar, com passe de Cazares, Ramiro não concluiu bem e parou em Fernando Miguel.  Do outro lado, Vanderlei Luxemburgo pedia coragem.

Colocou Catatau e Juninho para tentar tirar o time da defesa. Afinal, o empate praticamente confirmaria o rebaixamento.  O Vasco foi para cima, se expondo a contra-ataques. Fábio Santos, por muito pouco, não abriu o placar para o Corinthians em chute cruzado. O jogo ganhou em emoção. Carlinhos, sem querer, querendo, mandou cruzamento que pegou no travessão.

O final foi dramático, mas o nervosismo minou os últimos ataques vascaínos. O Corinthians teve uma grande chance de vencer com Jô, que parou em Fernando Miguel. No fim, 0 a 0, um 0 a 0 amargo para os dois lados. E mais uma mancha na história cruz-maltina.

O Gol 

Compartilhar:

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui